Prazeres da mesa

A HORA DA CABERNET FRANC

Por: Prazeres Da Mesa | 13.jul.2015

Essa elegante uva tinta, que brilha em grandes de Bordeaux, na França, começa a despontar em bons varietais em outras regiões

A análise do DNA das videiras que vem sendo realizadas nas últimas décadas tem descortinado parentescos entre inúmeras variedades.  A primeira descoberta da serie foi feita por Carole Meredith e John Bower, pesquisadores do Departamento de Viticultura e Enologia da Universidade de Davis, na Califórnia. Eles publicaram em 1997 um trabalho (http://www.nature.com/ng/journal/v16/n1/abs/ng0597-84.html) indicando que a uva Cabernet Sauvignon era descendente direta da dupla Cabernet Franc-Sauvignon Blanc.

Acredita-se que o nascimento teve lugar no século 18, em Bordeaux, por cruzamento espontâneo entre as duas cepas. Desde então, a Cabernet Sauvignon se transformou em uma das uvas de maior sucesso no planeta estando por trás de grandes ícones, tanto do Velho, como do Novo Mundo.

Mesmo com um rebento ilustre (e uma coautora, a Sauvignon Blanc, cada vez mais difundida) a Cabernet Franc não alcançou a mesma popularidade.

Brilha dentro de casa, especialmente em terras bordalesas, sendo alicerce de tremendos vinhos, como, para mencionar apenas um, o Château Cheval Blanc, em Saint- Émilion. Ocupa espaço também no vale do Loire, mais ao norte, dando forma a vinhos frutados e atraentes em áreas como Chinon, Bourgueil, ou Saumur-Champigny.

Fora, o panorama é outro. Nos países vinícolas sul-americanos, por exemplo, que dominam nosso mercado e são firme palco das outras duas variedades, a Cabernet Franc tem aparecido habitualmente tímida em papeis secundários de vinhos de corte. Por sorte as coisas parecem estar mudando. Surgem cada vez mais rubros com ela como protagonista, como os de hoje, boa oportunidade para conferir a fruta e o charme dos goles desta uva. Para quem não abre mão dos originais inclui também um vinho gaulês.

Chile

Botalcura Gran Reserva La Porfia 2012 – O francês Philippe Debrus é o enólogo (e sócio) da Botalcura, em Maule. Conheci-o na Valdivieso onde assinava um belo Cabernet Franc com uvas compradas de um velho vinhedo. Reencontrei-o na nova casa pouco tempo atrás. Aquele viticultor agora entrega as uvas para Botalcura e o vinho, equilibrado, redondo, unindo frutas vermelhas, tons de eucalipto, taninos firmes, longo e saboroso, continua muito bom (avaliação: 90 pontos em 100, R$ 65,90). Empório Santa Maria.

 Brasil

Aurora Pequenas Partilhas 2013 – Rubro gaúcho, prato cheio para quem gosta de um tempero firme de madeira.  Tons tostados e de suave café rodeiam um núcleo que mescla fruta (ameixas maduras) e um leve tom herbáceo. Macio, tem boa acidez (87/100, R$ 39,90). Pão de Açúcar.

França

Guy Saget Chinon 2012 – O rótulo Guy Saget faz parte do portfólio de uma empresa familiar, a Saget La Perriêre, com exemplares de praticamente todo o vale do Loire de Sancerre, no leste, a Muscadet, no oeste, perto do Atlântico. Chinon, no centro, foi o berço deste 2012, rico em boca (cerejas, tons terrosos e de suave especiaria) redondo, com bom final (89/100, R$ 93,47). Mistral.

Argentina

Escorihuela Gascon Pequeñas Producciones 2010 - Secular adega de Mendoza, a Escorihuela Gascón pertence, desde 1993, a Nicolás Catena proprietário da renomada Catena Zapata. A novidade da adega passou 12 meses em barricas de carvalho francês e americano. Cerejas e framboesas cobertas por um verniz que combina baunilha, canela e chocolate tomam conta de um paladar bem estruturado e persistente (91/100, R$ 143). Grand Cru.

Riglos Gran Cabernet Franc 2011 – A casa, também de Mendoza tem 38 hectares de vinhas ao pé dos Andes, em Gualtallary, no vale de Uco. O vinho, na sua segunda edição, está assinado por um experiente enólogo argentino, Juan Carlos Pérez Villa, que foi durante longo tempo diretor técnico da Finca Flichman. O Riglos agrada pela intensidade, untuosidade e elegância. Frutas vermelhas, geleias e especiarias embrulhadas em taninos finos, que lhe dão boa textura, dominam um sabor amplo (92/100, R$ 168). Decanter.

 

ANDRE PRECISA ACRESCENTAR EM ENDERECOS. NAO ESQUECA

Empório Santa Maria, tel. 11-3706-5211.

Pão de Açúcar, tel. 11-3055-6767.

Mistral, tel. 11-3372-3400.

Grand Cru, tel. 0800-777-8558.

Decanter, tel. 47-3326-0111.

 

jorge carrara_site

*Escreve também para o site Basilico

Colunas recentes

Colunas