Prazeres da mesa

COMIDA ANGELICAL

Por: Prazeres Da Mesa | 14.feb.2017

No restaurante Le Gabriel, a cozinha é literalmente comandada por um anjo e seus pratos são divinos

Ele se encontra a apenas dois passos da Avenida Champs-Élysées, no luxuoso e discreto hotel La Réserve. Antiga Résidence Maxim’s, o local é uma mansão do século XIX que pertenceu ao duc de Morny e depois a Pierre Cardin. Atualmente, faz parte de um dos quatro hotéis do empresário francês Michel Reybier.

A demanda por luxo e discrição não para de crescer na hotelaria francesa. Cada vez mais os clientes afortunados do mundo todo desejam os serviços de um hotel, mas sem perder o conforto de suas casas. O hotel La Réserve Paris preenche perfeitamente esses requisitos.

O restaurante Le Gabriel segue a mesma linha, oferecendo uma atmosfera elegante, intimista e sem ostentação. Destaca-se o parquet Versailles, o couro Cordova dos sofás e o patinado de ouro das paredes. No comando da cozinha encontramos o chef Jérôme Banctel, que, depois de trabalhar para grandes casas parisienses como L’Ambroisie durante dez anos e Lucas Carton durante sete, inaugurou o restaurante em 2015 e obteve neste ano a segunda estrela no Guia Michelin.

Com bases sólidas, Jérôme oferece uma cozinha francesa contemporânea, com sabores reais e cozimentos executados com exatidão. De múltiplas viagens para o Japão, o chef trouxe inspirações, que influenciaram suas criações atuais, dando toques asiáticos, cuidadosamente dosados sem nunca descaracterizar os produtos. É o caso dos aspargos verdes com vinagrete de yuzu kosho e pepino, ou o bacalhau fresco com curry e arroz-japonês e abacate orgânico.

Destacam-se também pratos como o salmão da Noruega, o ravióli de berinjela defumada, pasta de limão e o pombo da Vendée, com cacau e tagliatelle de trigo sarraceno. A leveza dos pratos é outra das qualidades do chef.

Duas dicas: comece a refeição com o champanhe da casa, ou seja, do proprietário, o Michel Reybier brut premier cru. E pegue leve na sobremesa, pois no final é servida uma brioche, acompanhada de ganache de chocolate para comer de colher com alguns suspiros angelicais.

01/12
Marina Gobet_site

*Formada em gastronomia pela Lenôtre, a paulistana Marina Gobet tem a sorte de morar em Paris há mais de dez anos.

Colunas recentes

Colunas