Prazeres da mesa

FEIJÃO DOCE

Por: Prazeres Da Mesa | 10.jan.2017

A delicadeza e o açúcar moderado do wagashi, vertente mais tradicional da confeitaria japonesa

Se uma só palavra pudesse definir a confeitaria japonesa, esta seria delicadeza. Açúcar moderado, frutas, feijão-azuki e mochi (massa de arroz) formam a base do receituário milenar. Biscoito fino em Londres é a Minamoto Kitchoan, filial da famosa marca de wagashi com 400 lojas no Japão e outras 20 pelo mundo (quatro só nos Estados Unidos). A casa é pequena e o espaço para degustação não chega a ser convidativo. O melhor mesmo é encher a cestinha e procurar um banco de praça nos arredores de Piccadilly Road (a Golden Square não está longe dali).

Todos os doces são produzidos no Japão, seguindo receitas clássicas e com ingredientes sazonais no país. A maioria tem validade de até dois meses, então dá até para levar na mala. “Basicamente, todas as lojas vendem os mesmos produtos, mas fora do Japão há opções adicionais pensadas especificamente para aquele público”, diz Masaaki Hatano, gerente da marca na Inglaterra. Em Taiwan, por exemplo (e só em Taiwan!), há opções de doces com manga.

Na coleção atual não há nada exclusivo de Londres, embora um dos doces mais vendidos bem que poderia ter sido feito sob encomenda para os ingleses – o dorayaki, uma panqueca com recheio de pasta doce de feijão-azuki. Populares também são os cookies (senbeis) com recheios mocha (chá-verde) e furuwatashi (baunilha). Crocantes e perfumados, agradam também à criançada.

Para uma seleção sem erros, comece pelo shimizuhakuto jelly, uma gelatina doce e suculenta de pêssego branco, que pode ser degustada em uma só mordida. Já o matcha mochi leva pasta doce de feijão coberta por um macio bolo de arroz polvilhado com pó de chá-verde. Curioso também é o baumkuchen, que até parece nosso pernambucano bolo de rolo, feito com finíssimas camadas de pão de ló, pó de amêndoas e rum. Uma xícara de chá-verde, quente ou frio, acompanha muito bem.

01/12

Minamoto Kitchoan London
44 Piccadilly Road;
kitchoan.co.uk

marta barbosa

*Depois de seis anos na redação paulistana, Marta Barbosa Stephens trocou o Brasil pela Inglaterra, de onde envia as boas-novas como correspondente de Prazeres da Mesa

Colunas recentes

Colunas