Prazeres da mesa

O site de seu restaurante

Por: Prazeres Da Mesa | 15.sep.2016

Fuja do antiquado, adapte-se à geração mobile e atraia a clientela

Pouca gente sabe, mas passei 13 anos desenvolvendo sites e aplicativos móveis para empresas de comunicação com ênfase em design para desempenho maximizado. Por isso, sempre tive problemas com sites de restaurantes. Antiquados, mal planejados, sem falar nos que já abrem tocando musiquinhas pretensiosas ou travam na falta de algum plug-in novo que seu computador ainda não tem. Pensando nisso, resolvi montar uma lista com dicas para melhorar o site de seu restaurante, bar ou food truck, uma vez que chef antenado já tem caminhão no currículo. Vem comigo.

Mais importante que a foto daquele prato famoso da casa é a navegação do site. Sem navegação adequada, a pessoa não irá além da primeira página. E nem sempre dá para resumir tudo na homepage. Nunca dá. É preciso pensar em uma navegação simples, intuitiva. Sites de restaurantes classudos, com navegação vertical moderna e veloz, dão tontura no antigo cliente que já usa óculos bifocal. Sites de restaurantes moderninhos feitos em Flash, que não abrem em mobiles e tablets da galera, também não colam. Aliás, tem gente que ainda usa Flash?

Por falar em mobiles e tablets, o site de seu restaurante abre uma versão miniaturizada da versão desktop? Você anda com lupa? Então, melhor é criar um site que se adeque à dimensão das telas menores, que tenha um layout fluido adequado à largura da tela, também conhecido como “design responsivo”.

Você disponibiliza o cardápio em um PDF para ser baixado? Para que dar um trabalho a mais para o cliente que quer apenas consultar uma lista de pratos e preços? PDFs geralmente são arquivos mais pesados, quando deveriam ser mais leves. Portanto, disponha seu cardápio em uma página do site. E, importante: mantenha os preços atualizados!

Tire a musiquinha do site. Ah, você gosta de jazz ou de bossa nova? Reserve esse momento para o restaurante. A música serve apenas como elemento de distração que mais atrapalhará do que ajudará na visualização do conteúdo. E quem gosta de ouvir música  navega com o fone de ouvido plugado no Spotify.

Sobre as fotos, contrate um fotógrafo competente. Registre fotos do restaurante com clientes, procure captar o clima festivo (ou não) do ambiente. Fotos de salões vazios e fachadas apagadas dão a sensação de abandono. Fotografe os pratos sendo preparados na cozinha e servidos em mesas ocupadas, e não apenas dispostos em uma locação fria, sem nenhum contexto. É restaurante, não um museu de cera.

Social Media também é uma ferramenta importante, não ignore o poder das redes sociais em seu site. Inclua um quadro do Facebook que possibilite ao leitor visitar ou dar ‘likes’ em sua fan page. Conecte-se ao Foursquare e permita que os clientes façam upload de fotos dos pratos do restaurante. Acrescente todas as informações de endereço, horário de funcionamento e formas de pagamento, sem se esquecer do link do Google Maps ou mesmo um pequeno mapa interativo na tela de contato.

Enfim, crie um site bacanudo, mas sempre adequado ao perfil de seu negócio. Que seja estimulante a ponto de encher os olhos do cliente e animá-lo a esvaziar a carteira. Com prazer.

Marcelo Katsukijpg

*É blogueiro (comesebebes.com.br) e passa metade do dia pensando em comida. Na outra metade, ele sonha

Colunas recentes

Colunas