Prazeres da mesa

Os pratos que nos inspiram

Por: Prazeres Da Mesa | 19.feb.2018

Eu sou colecionadora de pratos. Tenho pratos sobre o balcão da sala, pratos na parede, muitos pratos casados e descasados nos meus armários. E gosto de usar de acordo com o meu humor do dia. Às vezes combinando um com o outro. Noutras, completamente descombinados.

Como um dia fez a Shirley Valentine (lembra do filme?), de vez em quando converso com meus pratos: “comprei você naquela viagem à Grécia… você foi tudo que me sobrou do primeiro apartamento… você foi da minha avó que cozinhava tão melhor do que eu”. Não, eu não converso em voz alta, converso com meus pensamentos ao mexer nos meus pratos. Vou empilhando e vou lembrando. São bem mais eficientes do que os álbuns de fotografia. E se são os pratos de enfeite, sempre termino fazendo um rodízio; tiro de uma mesa e coloco em outra… coloco para servir um bolo. É assim que faço meus pratos ganharem vida e resgatarem histórias da minha vida.

Admito que não sou fã dos pratos brancos. Eu sei, eles são elegantes; finíssimos em um serviço à francesa quando arrematados pelos guardanapos de linho com monogramas bordados. Mas, fala sério: tem mais alegria do que em um prato pintado com tantos motivos que a vida nos oferece?

Esta semana, estou fazendo a cobertura jornalística da ABUP, a maior feira de utilidades domésticas, arte e presentes da América Latina, que acontece em São Paulo. É uma beleza tudo que trazem para as nossas casas.

E, entre uma entrevista e outra, lá fui eu bater perna pela feira, conhecer as novidades, conversar com os expositores… Eis que, então, me deparo com os pratos. Tantos e tão diversos. Tão coloridos para a minha alegria e a de quem mais adora as cores.

Por quase uma hora me perdi entre as mesas para o Halloween, as mesas de Natal, as mesas para um encontro romântico, as mesas infantis. Meu filho dá risada quando visitamos algum lugar novo e eu digo: ah, aqui eu gostaria de morar. Pois os pratos têm o mesmo efeito em mim; me transportam para as mesas às quais eu gostaria de me sentar, desfrutar de uma ótima refeição, contar e ouvir histórias de velhos e novos amigos.

Para 2018, tenho amigas que pretendem mudar de emprego, uma que prometeu, enfim, se separar e outra que vai se aposentar. Eu não vou mudar minha vida em nada, exceto por um gasto que ainda pretendo fazer: pratos novos e coloridos. Os grandes preparos são efêmeros… a fome se vai… os pratos não. Ali estão e ali ficarão para nos ajudar a passar pelas refeições que contam tanto sobre as nossas vidas.

INES Castro_pb

É jornalista, colunista da Rádio BandNews FM e autora dos livros Etiqueta da Beleza, A Moda no Trabalho e O Guia das Curiosas, pela Pandabooks. Em 30 anos de carreira, escreveu para as revistas Claudia, ELLE, Playboy, VIP e Marie Claire.

Colunas recentes

Colunas