Prazeres da mesa

OS VINHOS ESLOVENOS

Por: Prazeres Da Mesa | 19.sep.2017

De um país em que o uso de agrotóxico é proibido, a produção reserva boas surpresas

Eu já conhecia vinhos eslovenos por causa da importadora Decanter, de Adolar Hermann, que traz os deliciosos naturebas da Cincic. São diversos e maravilhosos. Mas, na Expovinis do ano passado, fiquei gratamente surpreso com o Top Ten de vinho branco que o Puklavec Sauvignon Blanc levou. Quando a efusiva Tatiana Puklavec e seu staff subiram ao palco e ela explodiu de alegria diante de Jorge Lucki e de sua premiação, achei aquilo o máximo! As pessoas precisam vibrar com os prêmios.

Depois, fui visitar o estande deles e provar outras maravilhas, afinal a P&F Wineries tem 13 rótulos de vinho de vinhedos próprios (1.100 hectares), e com rendimento médio por planta de 2 quilos de uva colhidos à mão. Seu espumante, elaborado pelo método charmat, de Sauvignon Blanc com 11% de álcool é maravilhoso.

Um detalhe que me chamou atenção é que na Eslovênia é proibido o uso de agrotóxico. Isso parece música aos meus ouvidos. Afinal, não quero beber veneno com meu vinho.

Mais tarde, conheci Michael Margon, da EsloBras, que traz para o Brasil vinhos de sete vinícolas eslovenas e ainda diversos produtos gourmet, como trufas negras e brancas, azeites e presunto cru, entre outras delícias. Soube por ele que a Refosco, que lá se chama Refosk, é uva autóctone eslovena com Denominação de Origem Protegida, o que foi novidade para mim.

Entre vários vinhos deliciosos que provei, destaco o Capris Plemenito Belo, de Malvásia, Chardonnay, Pinot Gris e Muscat, e que fermenta e afina em grandes botes de madeira de carvalho eslovena. Não confundir com carvalho de eslavônia, que é croata. Eles usam acácia também e carvalho francês em bordalesas, mas nesse vinho apenas carvalho esloveno e a bebida fica lá por anos até o momento de engarrafar. O resultado é uma densidade fora do comum, complexidade aromática e gustativa, uma massinha de modelar (pâte à modeler) e um toque de camomila, tudo com muita acidez e consequente frescor. Um show! Sem contar os naturais, como o Kabaj de Michael Morel e o Movia, espetaculares e uma conversa à parte.

Viva a Eslovênia!

Adendo

Depois da Segunda Guerra, as repúblicas Sérvia, Croácia, Montenegro, Bósnia e Herzegovina, Macedônia e Eslovênia formaram a República Socialista Federativa da Iugoslávia. Desde junho de 1991,

a Eslovênia declarou a independência e, hoje, é uma república parlamentarista, cuja capital é Liubliana – com população de 2 milhões de habitantes e 27.000 produtores de vinho registrados. Os eslovenos têm um consumo de 47 litros

de vinho per capita ao ano.

didu russo_site

*É fundador da Confraria dos Sommeliers

Colunas recentes

Colunas