Prazeres da mesa

Para verões quentes

Por: Prazeres Da Mesa | 15.may.2015

Para quem não pretende abandonar o mundo de Baco, mesmo com o calor que faz lá fora, uma relação de boas novidades que combinam com altas temperaturas

Dados divulgados recentemente na imprensa indicam que 2014 foi o ano mais quente registrado no planeta desde o fim do século XIX. Pelo andar da carruagem, parece que 2015 segue o mesmo caminho. Pelo menos por aqui. Em janeiro, os termômetros em São Paulo já passaram da marca dos 35 graus e no Rio de Janeiro, dos 46. Por isso, para os que não pretendem mesmo em meio a essas temperaturas calcinantes abandonar o mundo de Baco neste verão, mais do que nunca a melhor pedida é buscar refúgio em vinhos ligeiros, frutados e refrescantes, com boa acidez.

Tal como os de hoje, que aportaram no fim do ano passado, um elenco que mescla vinhos europeus e do Novo Mundo, a maioria brancos, claro, mas onde há também (afinal, ninguém é de ferro) um par de tintos de uma cepa que modela rubros leves e elegantes: a Pinot Noir.

Portugal
Os desembarques trouxeram três brancos da região do Vinho Verde no Minho, noroeste da terrinha, tradicional berço de vivazes goles lusos. Dois são a base de uva Loureiro, uma variedade aromática, muito interessante. O terceiro é 100% Alvarinho, uma das grandes estrelas brancas de Portugal.

Quinta de Balão Loureiro Escolha 2013 – Nasce na quinta do mesmo nome, uma propriedade com cerca de 10 hectares de vinha vizinha a Barcelos, no centro da área demarcada. Frutas tropicais (com certo toque de goiaba) e toques cítricos marcam um vinho nervoso, com final agradável  que perdura bom tempo em boca (avaliação: 88 pontos em 100, R$ 42,80). A venda na Adega Alentejana.

Casa da Senra Loureiro 2013 – Oriundo de Arcos de Valdevez, mais ao norte, é outro belo Loureiro, bem perfumado, que mescla frutas amarelas com pinceladas florais e minerais. Conjunto que molda um sabor persistente, realçado por uma marcada acidez (90/100, R$ 66,70).

Quinta do Louridal Poema Alvarinho 2010 – O Poema é novidade nas prateleiras do Brasil, mas não na coluna. A edição 2008 do branco da Quinta do Loridal foi um dos destaques do meu último giro pela região dos Vinhos Verdes. A de 2010 repete o desempenho. O Poema surge de dois hectares de vinhas plantadas em encostas graníticas frente ao Rio Minho, no extremo nordeste português, na fronteira com a Espanha e passa cerca de 12 meses em contato com as borras antes de ser engarrafado.  Frutas brancas aparecem envoltas em um sedutor verniz mineral e tons de suave tostado num paladar seco, longo e vibrante (91/100, R$ 99,90). Os dois últimos na Vino Mundi.

Nova Zelândia
As estreias do arquipélago do Pacífico correram por conta do lançamento realizado pela New World Wines, firma que representa no Brasil três vinícolas da região de Marlborough: a Pania (da própria New World Wines, dona dos rótulos de entrada); a Ara, na ala intermediária; e a Jules Taylor, com as garrafas topo de linha desta primeira leva.

Pania Sauvignon Blanc 2014 – Fortes componentes cítricos (lima-limão siciliano) e suaves tons verdes tomam conta da cena.  Um branco saboroso, com bom frescor (87/100, R$ 49,90).

Pania Pinot Noir 2014 – Outro vinho prazeroso, leve, frutado (cerejas) e agradável em boca, com taninos finos e boa tipicidade, que se bebe fácil (88/100, R$ 64,90).

Ara Single Vineyard Sauvignon Blanc 2014 – Entre os vinhos da casa apresentados, destaque para o Sauvignon Blanc, combinando fruta intensa com certos matizes minerais e de mel num paladar untuoso e equilibrado (89/100, R$ 65,90).

Jules Taylor Sauvignon Blanc 2014 – A vinícola leva o nome da sua enóloga (e proprietária), que talha vinhos como este, rico, frutado, bem temperado com tênues traços de pimentão e aspargos, com um final delicioso (90/100, R$ 78,10).

Jules Taylor Pinot Noir 2013 – Parte do vinho estagiou em barricas de carvalho francês. Amplo e sedoso, tem bom conteúdo da fruta clássica da cepa que, junto a toques de especiaria, dominam um sabor complexo e atraente (90/100, R$ 97,40). Todos na Vinhos Online.

 

 

jorge carrara_site

*Escreve também para o site Basilico

Colunas recentes

Colunas