Prazeres da mesa

PRINCESAS, OGROS E AS ESCOLAS DE ETIQUETA PARA CRIANÇAS

Por: Prazeres Da Mesa | 21.oct.2016

Uma polêmica recente ferveu a internet depois que a filha do apresentador Silvio Santos declarou sua nova empreitada: trazer a escola das princesas para São Paulo.

Essa escola nasceu em Uberlândia, Minas Gerais, usando um marketing cor-de-rosa que promete ensinar princípios morais e éticos, respeito às diferenças, solidariedade, cooperação, cordialidade… Um monte de conceitos que, de tão abertos, a gente fica se perguntando: como é que vão ensinar tudo isso para as menininhas?

Bem, vamos ao que nos interessa aqui: a parte do currículo que diz respeito à mesa, à cozinha e ao fogão. Entre outras coisas, a escola das princesas ensina as meninas a se sentar direito à mesa, segurar corretamente os talheres, não colocar no prato a comida que não vão comer, não mexer no celular enquanto estão comendo, apreciarem o sabor da comida ao invés de devorar qualquer porcaria…Achou tudo isso ruim? Eu achei tudo isso ótimo.

 

Foto: divulgação

Foto: divulgação


Tá… vamos deixar de fora a purpurina, as tiaras de diamante, os vestidos de princesa… Não vou discutir isso aqui nem inflar a fúria feminista porque estou mais a fim de comentar sobre a fundamental educação à mesa que nem pais e nem escolas estão a fim, com tempo ou disposição para oferecer às crianças, embora devessem.

As crianças do século 21 são gênios da informática e ogros na convivência. Óbvio, não vou generalizar. Mas a maioria a que me refiro está cada vez mais expressiva.

Dia desses, enquanto tomava um chope com amigos em um bar – e isso foi às 11h da noite – uma mulher corria pelo salão, brincando com seu pimpolho. O garoto gritava toda vez que a mãe o alcançava. Adoro os pequeninhos, mas aquilo irritou a mim e a todos os frequentadores do bar. Hora errada, ambiente errado… tudo errado.

Na semana seguinte, tive o desprazer de participar de uma roda de debates com estudantes do ensino médio durante um almoço. O hotel onde aconteceu o encontro oferecia almoço e, posso afirmar, foi um show de horror. Penalizada, observei que seguram o garfo e a faca como se fossem pás de cimentar, não sabem cortar um pedaço de carne sem que metade do alimento caia para fora do prato, falam enquanto mastigam… e parece tudo bem normal.

A tal escola das princesas deve ter observado esse vácuo na educação dos mais jovens e aproveitou o mercado. Aposto que, em menos de um ano, essa franquia vai ter prosperado Brasil afora.

Pedido que eu faria aos criadores da instituição: abram as portas também para os pequenos príncipes. Eles estão carentes dos bons modos à mesa e não merecem ficar em defasagem.

Ainda dá tempo de evitar que nossos pimpolhos se transformem em ogros.

INES Castro_pb

É jornalista, colunista da Rádio BandNews FM e autora dos livros Etiqueta da Beleza, A Moda no Trabalho e O Guia das Curiosas, pela Pandabooks. Em 30 anos de carreira, escreveu para as revistas Claudia, ELLE, Playboy, VIP e Marie Claire.

Colunas recentes

Colunas