Prazeres da mesa

SOVAR CURA

Por: Prazeres Da Mesa | 11.apr.2016

Nos bastidores de uma padaria especializada em produção artesanal, um projeto de tratamento terapêutico se baseia em técnicas da panificação

Fazer pão é terapêutico. Quem nunca sovou uma massa depositando ali toda a energia que precisava ser renovada, e terminou a sessão de pancadas se sentindo mais leve? Pois em Londres, no The Centre for Better Health, um centro de saúde mental mantido há mais de 50 anos com base em doações, a panificação se tornou um importante aliado no reestabelecimento da confiança dos pacientes.

“A panificação artesanal é um ofício que precisa ser sempre aperfeiçoado. Um trabalho manual que não permite processos automatizados e no qual é preciso aceitar a singularidade de cada mistura, de cada forma de preparo e lote – muito parecido com a singularidade do ser humano”, afirma Ashwin Matthews, responsável pelo projeto que completa três anos. Começou com a ideia de um negócio que pudesse ser economicamente interessante e com valor terapêutico. Hoje, a entidade mantém um café em Haggerston, região de Hackney, nordeste de Londres, onde a produção é vendida, além de contratos com restaurantes das redondezas.

Na bancada de produção estão, além de funcionários e voluntários, dez trainees por semana. Para garantir a qualidade dos produtos, não mais que dois atuam por dia. São pessoas indicadas por institutos de saúde, pelo sistema de Justiça Criminal e por órgãos de apoio a desempregados. Ali, eles aprendem a fazer pães, salgados, bolos e pizzas, enquanto trocam experiên-cias de vida, exteriorizam os problemas e aliviam o estresse. Com um pouco de dedicação, saem com uma nova profissão no currículo.

E a Better Health Bakery é uma delícia. O mais popular entre os pães é o sourdough, de longa fermentação, feito com as farinhas branca orgânica e integral, e com levedura própria. No cardápio, aparece em combinações simples nos sanduíches da casa, servidos com chá, café e uma pequena variedade de sucos. Sexta-feira é dia de pizza – é um sucesso! “Com a panificação artesanal desenvolvemos autoconfiança, trabalho em equipe, apoio social, pontualidade, confiabilidade, além da capacitação profissional”, diz Matthews. Sem falar no prazer em que tudo resulta.

01/12
marta barbosa

*Depois de seis anos na redação paulistana, Marta Barbosa Stephens trocou o Brasil pela Inglaterra, de onde envia as boas-novas como correspondente de Prazeres da Mesa

Colunas recentes

Colunas