Prazeres da mesa

Vinhos grandiosos

Dez bons motivos para celebrar a Itália

Por: | 19.jul.2012

Por Luca Gardini*

• Barolo DOCG Vigna Rionda 2004 – Oddero
97 pontos
Uma das expressões mais refinadas e poderosas do Barolo. Viva e brilhante, granada e rubi. O buquê olfativo tem framboesas, morangos e pimenta-branca, hortelã e tons empoeirados. Oxigenado, traz coentro e cominho, rosas e notas de amendoim torrado. A entrada para o paladar é intensa e vigorosa, com taninos opulentos ainda em evolução, integrados a uma veia ácida e um final terroso. Encerramento de cereja e cacau em pó, fino e equilibrado, com grande potencial de evolução.

• Suisassi  2007 Toscana Rosso IGT – Duemani
96 pontos
Luca D’Attoma confirma ser um dos melhores intérpretes da enologia italiana, e seu Syrah puro é exemplo disso. Rubi luminoso denso e compacto, na taça oferece aromas de frutas em compotas, cardamomo, pimenta-preta. Oxigenando-se, emergem nuances de mentol, tabaco de charuto, creme de avelã, terminando com um toque de mata mediterrânea e alcaçuz doce. No palato, pleno e elegante, um grande equilíbrio entre a maciez e os taninos opulentos, mas bem integrados. Final sápido e balsâmico.

• Belpoggio Brunello di Montalcino 2006 DOCG – Belpoggio
95 pontos
A empresa Belpoggio produz um Brunello de estilo tradicional e de classe única, na zona de maior vocação do território de Montalcino. Nariz extremamente expressivo que abre com aromas de cassis, amoras, noz-moscada e casca de laranja. Na segunda batida, ervas e notas iodadas. Ao final, toque de café com musgo e tabaco. Impacto elegante e taninos bem presentes e sedosos na boca. De grande equilíbrio, com final de frutas vermelhas.

• L’Amarone Riserva 2006 Amarone della Valpolicella Classico DOC – Buglioni
92 pontos
Um Amarone rico e suntuoso, de grande equilíbrio. No nariz, tem compota de ameixa, bagas de zimbro, café torrado, eucalipto e, ao final, gerânio e louro. Boca plena e envolvente, com taninos bem resolvidos. Frutas vermelhas em compota e notas achocolatadas aparecem no retrogosto.

• Gris 2008 Friuli Isonzo DOC – Lis Neris
90 pontos
Uma empresa histórica do Friuli, com elevados padrões de qualidade, produz vinhos intensos e expressivos, como este Pinot Grigio de cor amarelo-palha pálido com delicados reflexos. Ao nariz, revela uma forte mineralidade, com decididas notas iodadas que emergem ao primeiro impacto. No segundo compasso, chega o chamado de frutas como a nêspera e o caqui. Ao paladar, o vinho é quente e generoso, mas também sápido e dotado de particular acidez, que reforça o equilíbrio. Encerramento amendoado e persistente.

• Barbaresco DOCG Canova 2008 – Ressia
93 pontos
Este Barbaresco é fruto de uma pequena produção de alta qualidade. Ao olfato, cerejas, hortelã-pimenta, morangos silvestres, com toques minerais. Oxigenando, emerge a noz seca, com leves tons de gengibre e café torrado. Na boca, é elegante, com taninos acentuados e boa acidez. Encerra com lembranças de cassis e pimenta-branca.

• Giulio Ferrari Riserva del Fondatore 2001 Trento DOC  –  Cantine Ferrari
93 pontos
A mais alta expressão do método clássico italiano, produzido somente com uvas Chardonnay. Cor amarelo dourado brilhante, perlage fino e persistente. Nariz elegante e compacto: laranja cristalizada e grapefruit. Oxigenando na taça, emergem notas de pistache, com final balsâmico. No paladar, perlage fino e cremoso. Macio, de prazeroso frescor, com retrogosto de biscoitos e de lima.

• Lalùci 2010 Sicilia IGT – Baglio del Cristo di Campobello
89 pontos
A empresa é fortemente ligada às raízes culturais da esplêndida terra da Sicília. No visual, o vinho tem coloração ouro brilhante, com tênues reflexos de casca de lima. Impacto olfativo de grande complexidade: kiwi, grapefruit e toques minerais. Abrindo-se, depois, oferece aromas frescos e picantes de gengibre e pimenta-branca. Paladar elegante e persistente, dotado de grande sapidez. No final, notas minerais, lembranças de ervas aromáticas e de alcaparra seca.

• Grotte Rosse 2009 Montecucco Sangiovese DOC – Salustri
94 pontos
Reconhecido por anos como a Sangiovese de referência da área de produção do Montecucco, na Toscana. O buquê lembra morangos e framboesas, hortelã-pimenta e toques minerais. Entrada gustativa elegante e macia, com taninos opulentos que se harmonizam com o componente ácido sápido. No final, sobressaem as frutas vermelhas e as notas de ervas.

• Il Pollenza 2007 Toscana Rosso IGT – Il Pollenza
95 pontos
Vinho produzido de uvas típicas da área de Bordeaux, que revelam todo o potencial da região do Marche. Vermelho-rubi com reflexos granada. Nariz complexo e de forte identidade: compota de tomate, hortelã-pimenta, amoras e uma nota mineral que envolve. Oxigenando-se, entre a vasta gama de elegantes perfumes, oferece: nozes secas, alcaçuz e flores vermelhas com final de cardamomo. Ao paladar fino e persistente, taninos homogêneos com veia ácida prazerosa.

* Luca Gardini foi eleito o melhor sommelier do mundo em 2010 pela Worldwide Sommelier Association.

IMG_0554pb_site

*Foi eleito o melhor sommelier do mundo em 2010 pela Worldwide Sommelier Association

Colunas recentes

Colunas