Prazeres da mesa

Visão ecológica

Por: Prazeres Da Mesa | 10.apr.2017

Viticultura e vinhos biodinâmicos, orgânicos, ecológicos e biológicos

O evento Semana Mesa apresentou em uma de suas aulas os vinhos “verdes”, não aqueles portugueses famosos, mas os ecologicamente corretos, elaborados com foco na preservação do meio ambiente, da saúde e do bem-estar do ser humano. Sobre esse assunto, é importante entender os conceitos. De maneira geral, o que existem são conceitos sobre agricultura orgânica, biológica, ecológica e biodinâmica, e não vinhos orgânicos, biodinâmicos, e assim por diante. Em alguns países, as legislações variam e isso pode causar certa confusão nos consumidores. Vamos aos conceitos.

Viticultura orgânica

A viticultura ogânica é um sistema de plantio de uvas que tem como base não só na planta, mas o gerenciamento racional e sua interação com a fauna e flora. É fundamental o respeito aos ciclos biológicos. Esse conceito contrasta com o conceito da viticultura industrializada, uma das maneiras de como é chamada a viticultura, na qual a adição de produtos químicos é permitida. A viticultura orgânica, conhecida como agriculture biologique foi oficialmente reconhecida e legalizada na França em 1981. A principal preocupação dessa cultura é relacionada ao solo. Na visão de alguns agricultores, a adição de produtos industrializados é como veneno para o solo e inibe de maneira profunda a expressão do terroir. Na maioria dos rótulos disponíveis no mercado encontramos termos como “vinho produzido a partir de uvas cultivadas organicamente”.  Essa é a nomenclatura que o enófilo deve procurar.

Viticultura biológica ou ecológica

Na maioria dos países, os vinhos produzidos a partir de uvas ecológicas, biológicas e orgânicas são exatamente a mesma coisa. Contudo, em alguns países, nas culturas biológicas e ecológicas, é permitida a utilização de sulfato de cobre e de sulfurosos, estes último em quantidades ínfimas, em caso de presença de oídio e míldio nas vinhas.

Viticultura biodinâmica

Essa cultura, a mais extrema com relação ao nível de respeito e rigor relativo aos cuidados com o solo e com a vinificação, é basicamente a cultura orgânica somada ao cosmos e à astrologia, predominantemente baseadas nas teorias do austríaco Rudolf Steiner, que influenciou sobremaneira a ciência. Steiner além de criador da agricultura biodinâmica, criou também a antroposofia, a pedadogia Waldorf, a medicina antropofásica e a euritimia. Os princípios da Agricultura Biodinâmica de Steiner estão descritos em The Spiritual Foundations of Biodynamic Methods. No cultivo em questão, o trato, tanto na vinha quanto na adega, é regido pela posição dos planetas e principalmente pelas fases da lua. A utilização de produtos agroquímicos e fertilizantes é proibida, contudo algumas misturas são permitidas. Conhecidas como preparos biodinâmicos, são alguns sprays como Equisteum arvense e alguns compostos com base em mil-folhas, urtigas, cascas de carvalho, dente-de-leão e valeriana, e outros (no total são 9, numerados de 500 a 508). O órgão regulador da cultura biodinâmica é o Demeter.

Colunas recentes

Colunas