Prazeres da mesa

Mundo Mesa

Com amor e lágrimas

De Alex Atala a Albert Adriá, o dia foi de grandes emoções

Por: Prazeres Da Mesa | 27.oct.2016

Da redação

O último dia de Mesa Tendências não poderia ser mais estrelado. Começou com Alex Atala contando sobre as belezas e dificuldades de ser um grande chef. O cozinheiro exaltou a importância de sua equipe, que comanda seus restaurantes quando ele não está presente e, em um dos momentos que mais emocionaram o público, falou sobre a dificuldade em conciliar a carreira com a vida pessoal. “Quando vejo um jovem de 18/20 anos com a mesma paixão que eu tinha aos 18/20, fico em dúvida sobre o que dizer. É preciso abdicar de muita coisa para ser um grande chef. Mas, por outro lado, vejo grandes talentos que não tenho como não incentivar”, disse. Confira a transmissão feita em nosso Facebook e, em dezembro, a matéria completa na edição impressa de Prazeres da Mesa.

O time é de Santa Catarina, mas poderia ser de Itú, conforme brincou Marcos Livi. Da esquerda para direita: Jaime Barcelos – o maior vendedor de ostras, Heiko Grabolle – o maior vendedor de salsichões, Alysson Müller – o maior vendedor de polvo, Marcos Livi – o gaúcho entre os catarinenses e que tem o dom de unir pessoas, e Renato Carioni – um dos cozinheiros com mais técnica. Juntos, eles mostram os encantos de seu estado. Em perfeita sintonia, eles ainda serviram um almoço para todo o público do Tendências com direito a arroz de polvo, ostras e muito mais.

Especialistas e produtores como Guilherme Ferreira e Bruno Caseirinho subiram ao palco do Tendências para mostrar como são feitos alguns dos queijos brasileiros como o Canastra e evidenciar a importância dos queijeiros espalhais  por todo território nacional, que produzem esse alimento precioso, cada qual com suas características  de terroir.

“É preciso ter interação entre pesquisa agrícola e gastronomia”, disse o pesquisador Daniel Gomes da APTA (Agência Paulista de Tecnologia dos Agronegócios). O cogumelo, um dos itens produzidos pela agência,  ganhou destaque na palestra por ser um dos produtos que estão em pleno crescimento de consumo desde 2008.

A artista multimídia Tainá Guedes falou um pouco do seu trabalho de food design na Alemanha, país em que mora e onde tem a Entretempo Kitchen Gallery, galeria de arte especializada em obras que trazem alimentos ou reflexões sobre eles.

As damas da cozinha Ana Soares e Mara Salles abriram a apresentação da palestra “povera cucina” brasileira com uma divertida encenação em um quintal cheios de galinhas. Em sete processos, ou melhor, em sete atos, criaram cenas de cozinha, recitando poemas e receitas usando a galinha como principal ingrediente,  para mostrar a riqueza da nossa cozinha brasileira.

O gaúcho Floriano Spiess falou na sua palestra no Tendências sobre a importância de chefia e cozinheiros usar partes dianteiras menos nobres do boi. Ele serviu acém cozido no forno super aromático, que fez sucesso entre o público.

Ana Luiza Trajano, que acaba de transformar seu restaurante Brasil a Gosto em um instituto de pesquisas sobre coZinha brasileira, falou da importância de se preservar o receituário nacional. “Hoje se fala muito em risoto, mas pouco em baião de dois ou arroz de forno, receitas tipicamente nossas.”

O espanhol Albert Adrià apresentou todos os seus restaurantes: Tickets, Pakta, Bodega 1900, Niño Viejo, Hoja Santa e Enigma, preparando receitas de casa um deles. Entre as receitas apresentou fatias de peixes imersas em água gelada com algas, prato servido no Pakta, casa de sotaque japonês. Do bar Tickets, fez folha de batata moldada com atum e flor de alho. Adrià finalizou sua palestra mostrando imagens do novo restaurante que abre ainda este ano, o Enigma, que tem design arrojado.

Matérias Relacionadas