Prazeres da mesa

Reportagem

Como manda a tradição

A Confeitaria Dama, em São Paulo, abriu com exclusividade para Prazeres da Mesa seu caderno de receitas natalinas. Trazemos duas delas que aproveitam os ingredientes da época e podem ser preparadas com antecedência

Por: Prazeres Da Mesa | 6.dec.2017

Por Stephanie Vapsys

Fotos Ricardo D’Angelo

Com as festas de fim de ano se aproximando, as imagens de mesas abastecidas com castanhas, frutas secas e frutas vermelhas são as primeiras a surgir na memória. Fica difícil não associar esses ingredientes às tradicionais receitas natalinas, pois, nesta época do ano, as gôndolas dos supermercados ficam cheias de nozes, avelãs, amêndoas, damascos e uvas-passas. Já nas feiras e nos hortifrútis, frutas como cereja, morango e framboesa são as primeiras a ser anunciadas. Fáceis de encontrar e com sabor de tradição, eles fazem a alegria da ceia. Para muitos, poder saborear esses ingredientes é um dos motivos para esta época ser tão aguardada, portanto, ao preparar os doces, eles não podem faltar.

Falando nisso, a dupla Mariana e Daniela Gorski, da Confeitaria Dama, decidiu unir todos esses elementos em receitas que farão pedir bis até aqueles que não são adeptos ao consumo de açúcar. “Queremos trazer praticidade, sabor e uma experiência deliciosa para o Natal”, diz Mariana.

Quem estiver pensando em aproveitar a ceia para abusar das castanhas e frutas secas, o bolo das damas é a receita ideal. A massa leva uvas-passas, damascos, nozes, amêndoas, castanhas-do-pará e laranja cristalizada. Segundo Mariana, o preparo é praticamente um panetone com massa de bolo. “Unimos o melhor do panetone em um bolo para celebrar a data. É uma receita para se deliciar com as melhores frutas e castanhas.”

A tradição das frutas vermelhas foi inserida na torta de cereja com doce de leite. A sobremesa leva massa de doce de leite, financier e geleia de cereja. “A torta de cereja nada mais é que uma brincadeira com o doce financier, que é uma delícia, mas que os brasileiros não conhecem bem. O povo brasileiro ama as misturas feitas com frutas vermelhas, então criamos um prato que agrada o paladar nacional e ainda serve como estímulo ao consumo de financier.”

Além de aproveitar os ingredientes da época, os doces têm mais um ponto em comum: o preparo pode ser antecipado. Ambos são assados, então têm longa durabilidade. “É isso que é gostoso, você consegue preparar quando tiver um tempinho. Eu não comemoro o Natal, porque sou judia, mas vivo o Natal da Dama e sempre vejo as pessoas aflitas no dia 24.” Com essas receitas em mãos, não há motivos para desespero ou correria. É só colocar a mão na massa e elaborar mais uma ceia cheia de delícias para ficar na memória.

Matérias Relacionadas