Prazeres da mesa

Notícias

Cozinha simples, feita com amor

No comando do programa Bizu e do Bar do Meio, a chef Luiza Hoffmann acumula projetos e sonhos

Por: Prazeres Da Mesa | 19.dec.2016

Por Stephanie Vapsys

Fotos Divulgação 

Atualmente no ar com a segunda temporada do Bizu, a chef Luiza Hoffmann não quer saber de descanso. Além de apresentadora, Luiza comanda a cozinha do Bar do Meio, em Fernando de Noronha, realiza eventos para o projeto Chef em Casa e administra o foodpark Panela de Rua, em São Paulo.  Isso quando não está atuando como chef consultora ou está metida em alguma ação voluntária.

A aproximação com a cozinha começou cedo. “Meu pai tem 15 irmãos, então cresci na cozinha ajudando minha avó. Vivíamos no interior de Santa Catarina e nós produzíamos tudo que ia à mesa. Tinha trabalho para tudo mundo”, conta. Tentando fugir da culinária, Luiza foi estudar Turismo e Administração, mas não demorou muito para que sua verdadeira vocação falasse mais alto. Seu primeiro emprego foi em um restaurante. “E uma vez dentro, você não quer mais sair”, diz, aos risos.

Decidida sobre o que faria dali em diante, Luiza foi estudar gastronomia na Universidade Anhembi Morumbi, em São Paulo, e no Instituto Paul Bocuse, na França. Estagiou com chefs estrelados como o espanhol Martín Berasategui e Alex Atala, até abrir o próprio restaurante, o Figo, em São Paulo. Localizado na Vila Nova Conceição, a casa conquistou a clientela fiel e Luiza ganhou o bairro. “Do público que atendo, 90% é o pessoal do bairro e, por isso, resolvi criar o Chef em Casa, em que atendo grupos de até 80 pessoas em casa.”

 Chef Luiza Hoffmann

Quando surgiu a oportunidade de ter um programa, a chef percebeu que era hora de deixar o Figo. “Estava difícil me dedicar 100%. Sou bem controladora e quero participar de tudo, então optei por me dedicar à TV e aos eventos e focar em ter um restaurante menor”, conta.

O programa transmitido pelo canal Food Network mostra Luiza ensinando um cardápio composto por entrada, prato principal e sobremesa. Todo episódio foca em um insumo a ser utilizado pela chef nas três etapas. “Às vezes tenho um ingrediente coringa com que posso fazer 1.000 receitas e outras vezes tenho algo como chuchu e daí vem o desafio de preparar uma boa sobremesa com ele. Não é porque estou na televisão que vou fazer algo mais ou menos. Imagine que frustrante preparar uma receita sem tanto cuidado e a pessoa em casa, ao reproduzir, achar que a culpa é dela.” Com o Bizu, Luiza pode apresentar sua cozinha multicultural, de que tanto fala. “Fico empolgada em criar receitas de todos os tipos. Hoje, como muita carne, mas já fui macrobiótica, vegana, passei por todas as fases.”

A visão de se alimentar mudou graças a experiências vividas pela cozinheira como quando, depois de o tsunami Phi Phi devastou a Tailândia em 2004, e ela foi trabalhar de voluntária. “Ver as crianças que cuidei, naquela época, crescidas e querendo cozinhar para mim não tem preço. As pessoas acham que é difícil me agradar porque sou chef, mas não. Uma comida simples, feita com amor, me emociona.”

 Chef Luiza Hoffmann

Essa experiência também a fez criar interesse por lugares distantes da cidade grande. “Eu sempre gostei de praias, de lugares que não têm tecnologia avançada, conforto. Eu queria muito voltar para a ilha sempre, só que com o decorrer dos anos ficou difícil. Eu não conseguia me ausentar por mais de 10 dias e demora de 3 a 4 dias para chegar lá.”

Foi, então, em Fernando de Noronha onde Luiza encontrou um novo reduto de paz e decidiu abrir outro restaurante, o Bar do Meio. Ela toma conta do lugar junto com outros três sócios e tenta passar o máximo do tempo disponível lá. “A ilha é o meu paraíso. Todo mundo acha um luxo, mas moro em uma casa de pescador, não tenho água quente. O máximo por lá é um ar-condicionado. E, assim, percebi que não preciso de um quarto do que tenho em São Paulo”.

Com o Bizu na segunda temporada e o Bar do Meio fazendo sucesso, Luiza se sente realizada. Mas isso não significa que vai parar por aí. A chef já tem um projeto no Rio de Janeiro voltado para a culinária saudável. Afinal, segundo ela, rotina de chef é não ter rotina. “É cada hora em um lugar.”

  Chef Luiza Hoffmann

Matérias Relacionadas