Prazeres da mesa

Mundo Mesa, Reportagem

Década de temperos

Calendário de eventos 2015 se encerra em meio às delicias da Praia do Forte com o Mesa Ao Vivo Bahia. Evento aconteceu junto do Festival Tempero no Forte

Por: Prazeres Da Mesa | 7.dec.2015

Por Isabel Raia

Depois de percorrer sete cidades, a trupe de Prazeres da Mesa escolheu a bela Praia do Forte para encerrar o calendário com o Mesa Ao Vivo Bahia. O evento conhecido pelo intercâmbio entre chefs locais e de fora se uniu a outra grande e reconhecida festa, o Tempero no Forte. Uma união para lá de saborosa e com salas cheias.

Mãe do festival, a chef Tereza Paim, do Casa de Tereza (BA), abriu o evento com uma aula magna em que ensinou a preparar geleias de frutas típicas e que estão em plena estação: marmelo, goiaba e cupuaçu. “Aproveitei para unir com especiarias como anis, canela, louco, cardamomo e pimenta, o ingrediente homenageado do festival”, disse.

01/12

Celso e Gabriela Freire (Espaço Gastronômico Celso Freire,PR) deixaram a chuvosa Curitiba para cozinhar na calorosa Bahia. Pai e filha ensinaram a todos a fazer cones crocantes de siri de Antonina, no litoral do Paraná, enquanto Celso fazia um discurso para valorizar os produtores. “O fornecedor tem de ser tratado como alguém da família, afinal, minha cozinha não é a mesma sem os peixes frescos que eu compro. Costumo convidar meus produtores para jantar com a família para que vejam como fica o produto na versão final”, disse.

Na sequência, a aula de Jesus Almeida (Senac) também ressaltou a importância do produto de qualidade. “A agricultura familiar é a base da gastronomia do nosso país. São essas pessoas que mantém o cultivo de produtos desprezados pela grande indústria”, afirmou enquanto ensinava os presentes a fazer filé de dourado com batata-doce e banana-da-terra.

Chef revelação eleito pelo prêmio Melhores do Ano Prazeres da Mesa/ Cacau Show 2015, Fabricio Lemos (Amado, BA) deu uma verdade aula sobre o uso integral e sem preconceitos na cozinha. “Vou fazer um carré de bode e, antes de torcer a boca, já lembro a todos que bode é famoso cabrito e existe em abundância na nossa caatinga”, contou. o Fabrico percorre, atualmente, a Bahia para estudar cada detalhes dos cinco biomas presentes no estado.

Ícone da gastronomia brasileira, Beto Pimentel (Paraíso Tropical, BA) animou a plateia com poesias e, claro, muito conhecimento sobre o ingrediente que vem da terra. “Vou fazer uma moqueca de preguari, tarioba, cacau de Ilhéus, lâminas de coco verde, flor de jambo, flor de carambola e achachariú. E eu corto os ingredientes em cubinhos e não em brunoise, porque sou brasileiro e não francês”, disse enquanto unia ingredientes que, para ele, ficam bom com tudo, caso do coco verde e do chocolate.

01/12

Mônica Rangel (Gosto com Gosto, RJ) finalizou o primeiro dia de Mesa Ao Vivo Bahia com uma saborosa sobremesa feita com a casca do maracujá com sagu. “Não quero mais ouvir aquele papo de jogar a casca da fruta fora. Temos de aproveitar todo o ingrediente. Assim, transformei o maracujá em pétalas e o sagu, em miolos para formar um flor.”

Chef do Tivoli Ecoresort, Rogerio de Siqueira deu uma dobradinha para diferentes públicos. Começou ensinando uma receita aos adultos. “Quis fazer um petisco, que é muito consumido por aqui, e de fácil preparação”, contou. Assim, ensinou a todos a fazer camarão empanado na tapioca. “Sempre o fiz frito, mas acredito que possa ser assado também, só deve perder parte da crocância.”

Faltou espaço para tanta criança querendo colocar a mão na massa na aula seguinte. O chef ensinou pequenos entre 3 e 12 anos a abusar da criatividade e fazer um cachorro de brigadeiro, beijinho e bicho de pé. “É uma troca muito bacana trabalhar com eles. Até pensei em trazer uma pizza para que eles recheassem, mas no fim, optei pelo doce.” Ideia aprovada pela criançada que saiu lambendo os dedos e exibindo criações que, de tão grandes, mal conseguiam segurar.

01/12

De volta ao público adulto, Dalton Rangel fez duas receitas. A primeira era um hambúrguer de peixe e camarão, que ganhou o toque defumado com o uso da fumaça líquida. “É um produto que gosto bastante de usar.” Já para a sobremesa, foi a vez do apresentado do Homens Gourmet (Fox Life) ensinar uma receita fácil e boa para as festas de fim de ano, o salame de chocolate. “Tem que cuidar bastante na hora de temperar o chocolate. Não pode deixar cair água e manter atenção na temperatura para garantir a textura correta do preparo.”

Editor de livros, André Boccato aproveitou o momento para adaptar uma receita dos tempos de D. Pedro II e serviu a todos um vatapá de carne de porco, executado pela cozinheira Flavia Costa. “É uma provocação, na verdade, para ver se os baianos iam se incomodar com o fato de não se parecer com o vatapá que eles fazem. O que aconteceu. Acho bacana isso porque é uma forma de verificar a identidade culinária de um povo”, afirmou.

01/12

Morena Leita (Capim Santo, SP e BA) fechou o evento com chave de ouro ao levar a filha, Manuela, o cozinheiro e braço direito Meia Noite e o chef paraense Ofir Oliveira. Servindo quase um banquete, Morena aproveitou para mostrar ingredientes e receitas que fizeram parte de sua infância, em Trancoso. “É o caso do biribiri, que marcou muito a minha memória, com sua acidez, e o mangalô que eu comia muito na infância”, contou.

Veterana do Tempero no Forte, a chef comentou as mudanças que viu acontecer em uma década de evento. “Essa integração entre os chefs é muito bacana. Aqui havia o costume de servir o peixe quase torrado, de assar demais, e depois do festival começaram a fazer no ponto certo, crocante por fora e macio por dentro.

Para saber todos os detalhes e receitas do Mesa Ao Vivo Bahia, não perca a edição de fevereiro de Prazeres da Mesa.

Matérias Relacionadas