Prazeres da Mesa - Página Inicial
  Facebook Twitter Twitter VideoReceita  
 
 
  Neobistrôs de Paris

Público jovem, boa comida e preços convenientes, no fenômeno social dos neobistrôs


Por Carlo Petrini*

Público jovem, boa comida e preços convenientes – é assim que, em Belleville e Bastille,  restaurantes dão vida a um fenômeno social, transformando bairros num fenômeno parisiense que muitos chamam de neobistrô.

Uma tendência que está revolucionando os restaurantes em Paris e que cada vez mais ganha as páginas dos jornais pelo sucesso de seus protagonistas. Um dos maiores fenômenos de crítica e público é o Le Chateaubriand, de Iñaki Aizpitarte, que está entre os 50 melhores restaurantes do mundo. Frequentado acima de tudo por jovens: não mais uma elite rica que não tem dificuldade para reservar mesas exclusivas por preços exagerados, mas jovens de jeans e tênis que entendem bem o valor da comida e do vinho e lotam esses endereços de cozinha complexa e inteligente, mas de prazer simples e econômico.

Do bistrô clássico ficaram os preços acessíveis e a informalidade, fórmula típica da Cidade Luz que recentemente tinha perdido muito de seu charme, promovendo apenas uma qualidade média e uma filosofia para atrair turistas. Agora foram remodelados de forma criativa e com os mais variados estilos, do moderno minimalista a um resgate inteligente de velhos restaurantes de bairro. O cenário é efervescente, muitos locais novos que merecem atenção. Podemos dizer que se trata de um fenômeno em grande parte jovem (também pela idade de muitos cozinheiros) e é interessante observar como isso se sobrepõe às mudanças geográficas urbanas que, como em todas as grandes capitais, marcam o renascimento cíclico de bairros pobres e difíceis.

Os jovens são atraídos pelos baixos aluguéis. Aos poucos, a vanguarda e a criatividade que levam junto dão vida a essas áreas, transformando-as em lugares agradáveis de morar e que acabam virando moda. Isso sempre aconteceu em Paris: na década de 1910, em Montmartre; depois foi Montparnasse; depois o Quartier Latin, com o nascimento de novos locais de encontro.

Hoje, o mesmo está ocorrendo em Belleville e na região em torno da Bastilha, onde encontramos alguns restaurantes que precisam ser visitados. Em Belleville, o Le Baratin, que à primeira vista parece um velho bistrô um pouco decadente: decoração pobre, mesas diferentes umas das outras, paredes vazias. Lá servem uma das cozinhas mais genuínas e interessantes, é ponto de encontro de chefs e equipes de cozinha depois de terminarem o expediente no resto da cidade (fica aberto até tarde), oferecendo grande satisfação, sobretudo com os pratos de miúdos e de carne, por cerca de 30 euros, sem vinho. No almoço, há opções por menos (17 euros), e a seleção de vinhos “naturais” inclui belas surpresas, sendo vendidos também por taça. Menus de almoço a preços reduzidos e grande atenção a propostas enológicas que respeitam o meio ambiente (vinhos orgânicos, biodinâmicos, naturais) são praticamente uma constante, como acontece em outros dois locais na área da Bastilha.

Rino (Rue Trousseau, 46) e La Gazzetta (Rue de Cotte, 29), a poucas quadras um do outro, estão redesenhando o mapa do tour gastronômico da cidade. Duas placas em italiano, uma para o cozinheiro nascido na Itália Giovanni Passerini, do Rino, e outra para um sueco, Petter Nilsson, do La Gazzetta. As opções de almoço não custam mais que 20 euros. No jantar, um menu de sete pratos custa mais (há o menu com cinco pratos, por 39 euros).

Os cozinheiros são considerados os melhores dentre os emergentes em nível internacional. Ao contrário do Le Baratin, a cozinha está menos ligada à tradição, mas é tão sóbria que deixa prever um grande futuro para seus autores. Vá antes que se tornem como o Chateaubriand, onde hoje é quase impossível conseguir reserva. E use também algum guia alternativo (como o Le Fooding): descubra muitos outros nomes que lhe darão prazer, sem esvaziar seu bolso.


* Carlo Petrini é sociólogo, autor de livros e fundador do Movimento Internacional Slow Food.

 
 
 
 
VideoReceita
Creme de Manga, Coco e Gengibre :: Sabores da Semana

Outros vídeos:
· Caipiry
· Margarita
· Como Fatiar e Picar Cebolas
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Nas Bancas Melhores do Vinho
Melhores do Ano Mesa Ao Vivo Brasília
Mesa Ao Vivo Ceará Mesa Ao Vivo Pernambuco
Mesa Ao Vivo Rio Semana MESA SP
Blog do Castilho Blogosfera de Prazeres
Edições Anteriores Vídeos
Carta de São Paulo Quem Somos
Fale Conosco (SAC) Newsletter
   
 
colunistas
Carlo Petrini
Com a Rio+20, uma reflexão sobre as promessas feitas duas décadas atrás, na Eco 92
 
André Clemente e Edu Passarelli
Acha que conhece todas as possibilidades de degustar cerveja? Então se prepare para mais esta: a bebida é usada para lavar a casca do laticínio
 
Luca Gardini
Entenda as características comuns às muitas variedades incluídas nessa tipologia originária da região central da Itália
 
Luis Lopes
A Revista de Vinhos, de Portugal, anuncia os melhores rótulos e produtores do país, 
a maioria bem conhecida do público brasileiro
 
  Prazeres da Mesa e Editora 4 Capas também fazem
4 Capas On-line | Rua Andrade Fernandes, 283 - São Paulo, SP - (11) 3023-5509 | www.4capas.com.br
Prazeres da Mesa, A Bíblia da Gastronomia
Resolução Mínima de 1024x768 © Copyright 2008, Prazeres da MESA. Todos os direitos reservados
Assine | Anuncie na revista | Anuncie no site | Fale Conosco (SAC)