Prazeres da mesa

Mundo Mesa, Reportagens, Semana Mesa SP

Gastronomia anti-guerra

Após assistir à árabes e judeus partilhando a mesa, choro e saudade na Semana Mesa SP

Por: Prazeres Da Mesa | 28.oct.2015

Por Tulio Silva
Foto Ricardo D’Angelo

“Comida é rendição!”, afirma Leila Kuczynski, chef do paulistano Arabia, em aula no Congresso Mesa Tendências onde exibiu, junto a Andrea Kaufmann, ex-AK Villa, um documentário em que crianças árabes e judias iam comer juntas pela primeira vez.

Ao telefone, acompanhado pelo documentarista, os dois meninos começam a conversar. “Pizza, você gosta de pizza?”, tenta o jovem judeu. À pergunta, a resposta é a negativa de, no campo de refugiados em que o pequeno árabe se encontra, o quitute italiano não ser possível de encontrar.

Por meio do documentário, percebemos que judeus tem permissão para entrar na parte árabe, mas que o contrário não é possível. “A gente não come pizza por que não consegue entrar aí, devido à fiscalização”, diz o árabe.

“Homus, e homus?”, ele questiona?

“Eu amo homus, como de manhã, de tarde, de noite, estou sempre comendo homus”, replica o judeu.

“E futebol?”

“Eu amo futebol.”

“Qual seu país preferido? Brasil? Eu amo o Brasil.

“Sim, Brasil, muito bom”, replica o pequeno judeu, ao que o jovenzinho árabe não tem mais dúvidas.

“Você não gostaria de vir em casa? Depois a gente jogava uma bola”, questiona o pequeno.

“Claro que gostaria”, diz o menino judeu.

Para Leila Kuczynski, quando o menino árabe fala em homus, é como se encontrasse uma palavra mágica. “Abracadabra e então, ele que estava arredio em aceitar os garotos judeus em casa, por ter visto um irmão morrer na guerra, percebe que existe muito entre os dois a compartilhar” afirma Leila. O homus, mil ingredientes, o futebol e até o Brasil são coisas que eles têm em comum.

Depois do encontro, em que as crianças brincam e comem juntas com total naturalidade, o choro árabe é livre:

“Como farei para encontrar Daniel e Yarko, agora que somos amigos, já que depois que vocês forem embora, não nos reuniremos nunca mais?”, questiona o jovenzinho ao grupo de documentaristas, sobre os amigos judeus. Choro também na plateia da Semana Mesa São Paulo, que tem agora ainda mais motivos para amar a comida.

Ao fim da aula, como não poderia deixar de ser, homus e falafel puderam ser degustados.

Matérias Relacionadas