Prazeres da mesa

Melhores do Ano, Melhores do Vinho, Vinhos

Os Melhores do Vinho de 2018

Os candidatos tiveram de 2 de abril a 9 de maio para se inscrever e passaram pelo olhar criterioso de Marcel Miwa. A ficha de avaliação e a premiação foram criadas pelo especialista Maurice Bibas

Por: Prazeres Da Mesa | 18.jun.2018

Respeitado no mercado, o prêmio traz os restaurantes em duas categorias: de Excelência (cartas com até 100 rótulos) e de Grande Excelência (com mais de 100 rótulos), além de homenagear a Personalidade do Vinho e o Melhor Sommelier. Neste ano, a lista ganhou uma novidade: a premiação da Melhor Carta de Vinhos Brasileiros. Os candidatos tiveram de 2 de abril a 9 de maio para se inscrever e passaram pelo olhar criterioso de Marcel Miwa. A ficha de avaliação e a premiação foram criadas pelo especialista Maurice Bibas.

Personalidade do Vinho
Murillo de Albuquerque Regina, da Epamig 

O pesquisador Murillo de Albuquerque Regina, eleito a Personalidade do Vinho de 2018 de Prazeres da Mesa, colocou Minas Gerais na rota do vinho com seu trabalho. O coordenador da Empresa de Pesquisa Agropecuária de Minas Gerais, a Epamig, desenvolveu a técnica chamada de dupla poda. Essa prática faz com que o ciclo natural das videiras seja alterado para que a colheita seja realizada no inverno, em vez de no verão. “A técnica foi desenvolvida em função de uma necessidade do país. A época de colheita aqui coincidia com os meses de chuvas fortes e para ter vinho de qualidade é preciso dias ensolarados, noites frias e pouca chuva”, diz o pesquisador. Depois de fazer doutorado em viticultura e enologia na Université de Bordeaux e pós-doutorado sobre melhoramento da viticultura na Établissement National Technique pour l’Amélioration de la Viticulture, Murillo voltou para o Brasil e realizou o primeiro teste em uma fazenda em Três Corações, Minas Gerais. “É no outono que se colhe o café mineiro de qualidade, então, por que não fazemos o mesmo com as uvas? Trouxemos mudas da França e, em vez de colher em janeiro, o fizemos em julho. A Syrah foi a que mais bem se adaptou”, diz. Desde então, a Epamig realiza um trabalho de incubadora de novas vinícolas interessadas na tecnologia da dupla poda.

MURILLO1

MELHOR CARTA DE VINHOS BRASILEIROS

Cave Nacional, Rio de Janeiro  
O casal Marcelo Rebouças e Karina Rodrigues fundaram a Cave Nacional como uma loja virtual especializada em vinhos brasileiros, mas com rótulos que fogem do óbvio. Em 2017 a loja ganhou um restobar no bairro de Botafogo. Além da carta com mais de 200 opções de vinhos brasileiros de 32 vinícolas, que contemplam rótulos gaúchos, de Santa Catarina, Paraná, São Paulo, Minas Gerais e Bahia, o espaço conta com sala de degustação e quinzenalmente faz uma noite de jazz acústico. A precificação das garrafas é justa e são muitas as opções abaixo de 100 reais. Como curiosidade, tem rótulo próprio, um branco feito com as variedades Ribolla Gialla e Fiano, da Fazenda  Pinheiro Seco (Bom Retiro, Santa Catarina) e produzido em parceria com as vinícolas Santa Augusta e Cattacini.
Rua 19 de Fevereiro, 151, Botafogo, tel. (21) 2146-5334; cavenacional.com.br

Grande prêmio de excelência

SÃO PAULO, SP

Adega Santiago 
Cada um dos três endereços tem carta própria. A mais extensa é a da Sampaio Vidal, na qual o sommelier Marcos Campelo supervisiona o serviço de vinhos – são 122 rótulos, dos quais 24 são conservados na Vacu Vin e oferecidos em taça. Em comum, todas as três têm domínio dos vinhos ibéricos, embora França, Itália, Chile, Argentina e Brasil também marquem presença.
Rua Sampaio Vidal, 1072, Jardim Paulistano, tel. (11) 3081-5211 (mais duas unidades)adegasantiago.com.br

Aguzzo 
Assinadas pelo sommelier Luis Amaral, as cartas que vigoram na matriz, em Pinheiros, e na Aguzzo Trattoria, em Moema, guardam ligeiras diferenças. Ambas, porém, privilegiam os rótulos da Itália. Há boas opções de Alemanha, Argentina, Chile, Espanha, Portugal e Brasil, com a seleção servida em taça. Como vinhos da casa, espumantes da vinícola Luiz Argenta e tintos e brancos da Pizzato.
Rua Simão Álvares, 325, Pinheiros, tel. (11) 3083-7363; Al. dos Maracatins, 495, Moema, tel. (11) 3586-8491; aguzzo.com.br

Amadeus  
Como a cozinha da chef Bella Masano tem base em peixes e frutos do mar, a carta elaborada pelo sommelier Flávio Cristóvão dá destaque para vinhos brancos e tintos da casta Pinot Noir. São 200 rótulos de 15 países produtores, dos quais 50 são biodinâmicos, orgânicos ou naturais – em taça, é possível provar 19 opções, servidas em doses de 30, 75 e 150 mililitros.
Rua Haddock Lobo, 807, Jardim Paulista, tel. (11) 3061-2859; restauranteamadeus.com.br

Barbacoa 
A matriz, no Itaim Bibi, brinda os clientes com a carta mais completa – são 213 rótulos, 18 deles conservados na Vacu Vin e servidos em taça. Responsável pelo serviço, o sommelier Ney Freitas trabalha com 14 países produtores e dá especial atenção a Argentina, Chile e Portugal. Como as carnes são a especialidade da rede, os vinhos tintos respondem por 80% da carta – a seleção privilegia os de maior estrutura e corpo.
Rua Doutor Renato Paes de Barros, 65, Itaim Bibi, tel. (11) 3168-5522 (mais 14 unidades); barbacoa.com.br

Ca’d’Oro  
Antes de chegar ao restaurante do hotel fundado em 1953 e inteiramente remodelado, a clientela passa pela imponente adega para 1.000 garrafas. São 152 rótulos selecionados pelo sommelier João Manuel Santos, com destaque para italianos e outros países do Velho Mundo – 13 deles em taça. O chef Fabrizio Guzzoni, neto do fundador, comanda a cozinha.
Rua Augusta, 129, Consolação, tel. (11) 3236-4300; cadoro.com.br

Cantaloup  
Fundada há 22 anos por Daniel Sahagoff, a casa foi uma das primeiras de São Paulo a implantar uma grande adega envidraçada em pleno salão. Ali repousam os 405 rótulos listados na carta do sommelier Carlos Alberto do Carmo, provenientes de 13 países. A cozinha do chef Valdir de Oliveira segue a linha contemporânea com múltiplas influências.
Rua Manuel Guedes, 474, Itaim Bibi, tel. (11) 3165-3445; cantaloup.com.br

Canvas Bar e Restaurante 
A proposta da carta de vinhos é apresentar o melhor da produção brasileira – entre os 181 rótulos selecionados pelo sommelier Rodrigo Rol, 22 dos quais são servidos em taça, têm destaque produtores das serras Gaúcha e Catarinense, da Campanha Gaúcha e do Vale do São Francisco. A cozinha do chef Rodrigo Mezadri combina ingredientes brasileiros e técnica italiana.
Hilton São Paulo Morumbi, Av. das Nações Unidas, 12901, Brooklin Novo, tel. (11) 2845-0055; canvasbarerestaurante.com.br

Cortés 
Na casa de carnes que pertence ao grupo Ráscal, cortes como assado de tira, ancho e carré de cordeiro têm a escolta de 132 rótulos de 12 países, 13 dos quais servidos em taça. A sommelière Luciana Bernardes, que responde por todo o grupo, assina a carta e seleciona os vinhos visitando as vinícolas. No dia a dia, o serviço de vinhos é supervisionado pelo sommelier Fábio Loyola.
Shopping Villa-Lobos, Avenida das Nações Unidas, 4777, Alto de Pinheiros, tel. (11) 3024-4301 (mais duas unidades); restaurantecortes.com.br

Due Cuochi
Para harmonizar com a cozinha italiana clássica do chef executivo Gianpiero Giuliani, a carta de vinhos da matriz lista 175 rótulos, sendo 15 deles servidos em taça. Quem assina a seleção é o sommelier Luciano Silva. A carta da unidade do Shopping Cidade Jardim é praticamente a mesma – somente no Morumbi vigora uma versão reduzida, com 75 rótulos.
Rua Manuel Guedes, 93, Itaim Bibi, tel. (11) 3078-8092 (mais duas unidades)duecuochi.com.br

Fogo de Chão  
A mesma carta assinada pelo sommelier consultor Manuel Luz, com 370 rótulos de oito países, vigora em todas as unidades – a rede tem nove restaurantes no Brasil, cinco em São Paulo, e 42 no exterior. Para acompanhar os cortes que circulam no espeto, dos clássicos bovinos às carnes de porco, cordeiro e frango, o cliente também pode pedir os dois rótulos próprios da churrascaria. Além do Malbec produzido pela argentina Catena, acaba de ser lançado um corte de Cabernet Sauvignon e Carménère, da vinícola chilena Viña Montes.
Av. dos Bandeirantes, 538, Vila Olímpia, tel. (11) 5505-0791 (mais 50 unidades)fogodechao.com.br

La Casserole
O restaurante sessentão mantém a excelência na cozinha clássica francesa, hoje a cargo do chef Eri Gomes, e do serviço de vinhos. Para harmonizar com pratos antigos no menu, como o gigot d’agneau, pernil de cordeiro assado com feijão-branco, a carta assinada pelo sommelier Sebastião Martins lista 250 rótulos da Europa e da América do Sul. Desses, 20 estão disponíveis em taça.
Lgo. do Arouche, 346, Centro, tel. (11) 3331-6283; lacasserole.com.br

Loup  
No novo restaurante de Daniel Sahagoff, também dono do Cantaloup, a adega envidraçada é uma verdadeira atração no salão. É ali que a sommelière Maria José Alexandrino guarda os 108 rótulos da carta – vinícolas da Itália têm destaque. A cozinha está a cargo do recém-contratado chef Thiago Cerqueira.
Rua Doutor Mario Ferraz, 528, Itaim Bibi, tel. (11) 3078-0484; louprestaurante.com.br

Ovo e Uva
Fundada por dois sommeliers, João Renato da Silva e Fernando Perazza, que se empenham em democratizar o consumo de vinhos. Dos 135 rótulos da carta, provenientes de 18 países, 30 custam menos de 100 reais. Há uma seleção mensal de vinhos com desconto, enquanto os mais caros, acima de 300 reais, são vendidos ao preço do importador. Porções para compartilhar e pratos substanciosos, como a porchetta com purê de alho-poró, são preparadas pelo chef José Rosa Junior.
Rua Mateus Grou, 286, Pinheiros, tel. (11) 3085-3070; ovoeuva.com.br

Osteria del Pettirosso
Na casa do chef italiano Marco Renzetti, os vinhos são assunto para sua mulher, a sommelière Erika Andrade. A carta lista 120 rótulos, com predominância para os italianos e franceses. Ela privilegia produtores pequenos, muitos dos quais descobre nas várias viagens anuais. O restaurante dispõe do sistema Coravin e permite que todas as garrafas sejam consumidas parcialmente – o cliente pode beber apenas 1/4 da garrafa e pagar o valor correspondente.
Al. Lorena, 2155, Jardim Paulista, tel. (11) 3062-5338; pettirosso.com.br

Pasquale  
Na adega climatizada para 1.000 garrafas, o proprietário Pasquale Nigro reserva espaço generoso para os rótulos da Púglia, região da Itália que também inspira sua cozinha. Ao todo, a carta do sommelier Marcelo Oliveira lista 300 rótulos, 16 dos quais servidos em taça.
Rua Girassol, 66, Vila Madalena, tel. (11) 3081-0333; pasqualecantina.com.br

Quinta de Santa Maria
O casal de proprietários portugueses João da Mota e Maria das Dores de Azevedo recria a atmosfera de seu país natal. Para acompanhar a cozinha típica do Minho, região norte de Portugal, há 189 rótulos de oito países. Eles são armazenados em adega climatizada com capacidade para 3.000 garrafas. Uma seção da casa vende itens, como bacalhau, azeites e queijos da Terrinha.
Rua Cerro Corá, 1548, Alto da Lapa, tel. (11) 3022-2499; quintadesantamaria.com.br

Rancho Português
No restaurante, no qual o leitão à bairrada é o prato mais pedido, ou no bar, onde são servidos sanduíches e porções, o cliente tem à disposição 391 rótulos selecionados pelo sommelier João de Araújo Pereira – os portugueses imperam, mas também há espaço para italianos e franceses. Onze são mantidos no Vacu Vin e vendidos em taça. O empório anexo vende 800 rótulos e, semestralmente, realiza uma feira de vinhos com dez  importadoras, que oferecem até 30% de desconto.
Av. dos Bandeirantes, 1051, Vila Olímpia, tel. (11) 2639-2077; ranchoportugues.com.br

Ráscal  
Todas as casas trabalham com a idêntica carta de vinhos, composta de 144 rótulos, 22 deles vendidos em taça – a seleção é feita pela sommelière-chef Luciana Bernardes, mas o sommelier Fernando Silva responde pelo serviço no dia a dia. Clássicos do Velho Mundo aparecem ao lado de opções menos conhecidas, de países como Líbano e Israel – a lista informa o perfil sensorial de cada vinho, facilitando a harmonização com os pratos assinados pela chef italiana Nadia Pizzo.
Rua Leopoldo Couto de Magalhães Junior, 831, Itaim Bibi, tel. (11) 3078-3351 (mais 11 unidades)rascal.com.br

Ristorantino
Assim como a cozinha do chef Henrique Schoendorfer tem como base o receituário clássico italiano, a carta de vinhos do sommelier Milton Ribeiro também privilegia os rótulos da Itália e de outros produtores europeus – embora haja espaço para vinícolas do Novo Mundo. São 115 rótulos para harmonizar com pratos como o tonnarelli cacio e pepe della casa e o risoto de faisão com radicchio vermelho.
Rua Doutor Melo Alves, 674, Jardim Paulista, tel. (11) 3063-0977; ristorantino.com.br

Taberna 474  
Crudos e outros petiscos de inspiração ibérica, como as pataniscas de bacalhau, acompanham os vinhos selecionados pelo sommelier Francisco Alves. A carta lista 116 rótulos. Ibéricos predominam, mas há opções de França, Itália, Chile, Argentina, África do Sul e Brasil. Mantidos na Vacu Vin, 21 rótulos são vendidos também em taça.
Rua Maria Carolina, 474, Jardim Paulistano, tel. (11) 3062-7098; taberna474.com.br

Tangará Jean-Georges
Localizado no térreo do luxuoso hotel, o restaurante que leva a assinatura do chef Jean-Georges Vongerichten mantém uma adega envidraçada espetacular, na qual repousam vinhos para beber à mesa, no bar e à beira da piscina. A carta, elaborada pelos sommeliers Tiago Menezes e Thiago Fakury, lista 290 rótulos, dos quais 15 vendidos em taça. Pratos de inspiração asiática, marca registrada de Jean-Georges, ganham pitadas brasileiras pelas mãos do chef Felipe Rodrigues.
Palácio Tangará, Rua Deputado Laércio Corte, 1501, Panamby, tel. (11) 4904-4040; palaciotangara.com.br

Terço Bar
Na carta assinada pela sommelière Gabriela Bigarelli, só entram produtos de vinícolas que ela já visitou – a lista traz informações detalhadas sobre as características sensoriais de cada um. Dos 107 rótulos de 12 países produtores, 13 estão disponíveis também em taça. A cozinha, a cargo da chef Luiza Hoffmann, prepara sanduíches, pizzas e pratos como o terço’s boeuf wellington.
Rua Manoel da Nóbrega, 246, Paraíso, tel. (11) 3562-2192; tercobar.com.br

Tre Bicchieri  
Entre os 228 vinhos da carta, sendo 18 vendidos em taça, os italianos – especialmente os de produtores da Toscana – merecem destaque. Há uma página inteira dedicada aos Chianti. O sommelier Hildom Clecio faz a seleção em sintonia com a cozinha do chef Rodrigo Queiroz: pratos como coniglio a cacciatora e tortelli di pecorino figuram entre suas especialidades.
Rua General Mena Barreto, 765, Itaim Bibi, tel. (11) 3885-4004; trebicchieri.com.br

Vento Haragano 
A churrascaria adota o sistema de rodízio e mantém uma impressionante carta de vinhos com 450 rótulos – 24 deles são vendidos também em taça. Para acompanhar picanhas, costelas e fraldinhas, a seleção do sommelier Alcir de Souza Ubaldo privilegia os tintos de nove procedências com os clássicos do Velho e do Novo Mundo.
Av. Rebouças, 1001, Jardim Paulista, tel. (11) 3083-4265; ventoharagano.com.br

Vicolo Nostro
Aos 20 anos, o restaurante mantém o menu de clássicos italianos a cargo do chef Cristiano Panizza – o peito de pato grelhado ao molho de balsâmico com risoto de gorgonzola e pera é uma das especialidades. Os 395 rótulos da carta são selecionados pela sommelière Lerizandra Salvador. O foco são os italianos, mas entram produtores de 17 países ao todo. Conservados no equipamento Le Verre de Vin, 19 rótulos estão em taças e dez em decanters de 375 mililitros.
Rua Jataituba, 29, Brooklin, tel. (11) 5561-5287; vicolonostro.com.br

Vinheria Percussi
Uma das mais bem montadas cartas de vinhos da cidade com cerca de 300 rótulos conta com o envolvimento direto de Lamberto Percussi, sócio no restaurante. O foco, claro, está em rótulos italianos, alguns de importação própria, mas há boa distribuição entre clássicos do Velho e do Novo Mundo, sempre divididos pelas regiões de origem. Até mesmo a seleção de vinhos de sobremesa é completa. A seleção de taças é feita diariamente e pode chegar a 12 rótulos.
Rua Cônego E. Leite, 523, Pinheiros, tel. (11) 3088-4920; percussi.com.br

Zucco 
A carta elaborada pelo sommelier Marcelo Santos lista 180 rótulos de 12 países – o peso maior é dado para a Itália e a França. A casa usa o sistema Le Verre de Vin e também oferece 11 rótulos em taça, melhor solução para harmonização com os pratos italianos do chef José Meirelles. Entre suas criações está a lombata di vitellone al tartufo nero.
Rua Haddock Lobo, 1416, Jardim Paulista, tel. (11) 3897-0666; zucco.com.br

CAMPINAS, SP

Olivetto Restaurante e Enoteca
Parruda, a carta elaborada pela sommelière Ana Galliano lista 881 rótulos – ela gosta de descobrir novas regiões produtoras e vinícolas pouco conhecidas. Mensalmente, os rótulos recém-incorporados são apresentados à clientela em jantares harmonizados, cujo serviço de vinhos fica a cargo do sommelier Moacir Lima. A cozinha tem matriz italiana. O chef Fábio Amaral prepara receitas como o congrio olivetto, que traz o peixe com cogumelos frescos e risoto de palmito.
Av. Coronel Silva Telles, 843, Cambuí, tel. (19) 3294-8133; olivettorestaurante.com.br

CAMPOS DO JORDÃO, SP

Charpentier  
Na adega subterrânea que dispensa climatização, porque se mantém naturalmente a no máximo 18 graus, o sommelier Valter da Silva Santos armazena os 149 rótulos da carta, premiada desde 2007. São vinhos provenientes de 13 países, sendo 16 biodinâmicos, naturais ou orgânicos. A cozinha lança mão da técnica francesa para trabalhar ingredientes regionais – flambados, fondues e pratos à base de truta e pinhão são os mais procurados.
Hotel Frontenac, Av. Doutor Paulo Ribas, 295, Fonte Simão, tel. (12) 3669-1000; frontenac.com.br

Confraria do Sabor 
No pedaço mais bombado de Campos do Jordão, o restaurante harmoniza os vinhos com pratos que combinam com o frio – uma das criações do chef Fernando Couto é o confit de pato ao molho de amoras, acompanhado de purê de batatas aromatizado com queijo Serra da Estrela. A carta, assinada pelo sommelier Pedro Henrique de Moraes da Silva, lista 165 rótulos, dos quais 13 são naturais, biodinâmicos ou orgânicos.
Av. Doutor Vitor Godinho, 191, Capivari, tel. (12) 3663-6550; confrariadosabor.com.br

Vila Chã 
A casa especializada em culinária portuguesa, comandada pelo chef Nelson Gonçalves Júnior, mantém uma senhora carta de vinhos também dedicada ao país. São 192 rótulos selecionados pelo sommelier José de Abreu, vindos das principais regiões produtoras de Portugal. Equipamentos Coravin permitem que 20 deles sejam servidos em taça.
Av. Engenheiro Diogo de Carvalho, 99, Capivari, tel. (12) 3663-4702; vilacha.com.br

 SÃO JOSÉ DOS CAMPOS, SP

Armazém da Pizza 
Premiada pela quarta vez, a carta da pizzaria lista 198 vinhos de 19 países, sendo oito disponíveis em taça – as 1.200 garrafas são armazenadas em uma bela adega envidraçada, visível do salão. Não há carta impressa. O cliente consulta a relação em tablets. O proprietário Heitor Serra seleciona os vinhos com base nas coberturas de suas pizzas.
Rua do Serimbura, 400, Vila Ema, tel. (12) 3923-7779; armazemdapizza.com.br

BRASÍLIA, DF

IVV Swinebar  
O sommelier Eduardo Nobre comanda o wine bar, que também funciona como empório e clube de vinhos. Dos cerca de 190 rótulos, 10% se enquadram na categoria dos orgânicos, biodinâmicos e naturais – há até seis opções em taça por dia. Para acompanhar a bebida, a casa mantém menu de tapas, a exemplo das tâmaras recheadas com gorgonzola envoltas em guanciale.
CLN 314, bloco B, loja 21, Asa Norte, tel. (61) 3034-3471; ivvswinebar.com.br

 La Table de Grand Cru  
O wine bar, que fica dentro de uma loja da importadora Grand Cru, funciona no almoço e no jantar – parte das mesas ocupa um convidativo deque ao ar livre. O cliente conta com 616 rótulos exibidos nas prateleiras. Há desde produtores consagrados até achados de pequenas vinícolas, oferecidos pelo preço de catálogo da importadora.
SHIS QI 9/11, bloco L, loja 6, Lago Sul, tel. (61) 3368-6868; grandcrubsb.com.br

Restaurante Universal
Para elaborar a carta, composta de 260 rótulos, a proprietária e chef Mara Alcamim e o sommelier João Batista Cunha criaram o projeto Cachos Universal, cujo objetivo era identificar vinhos de várias partes do mundo com bom custo-benefício – a seleção incluiu 15 vinícolas brasileiras, além de outros 14 países. O Brasil também aparece em pratos como o mignon ao melaço com risoto de queijo de coalho.
SCLS 210, bloco C, loja 18, tel. (61) 3443-2089; facebook.com/restauranteuniversaldiner

 MACEIÓ, AL

Divina Gula
A cozinha do chef André Generoso é mineira e a origem da casa foi a cachaça. Mas o serviço de vinhos não fica atrás. O sommelier Diogo Mortimer Generoso Pereira assina a carta com 112 rótulos de nove países. O Brasil aparece com a produção de seis vinícolas.
Rua Engenheiro Paulo Brandão Nogueira, 85, Jatiúca, tel. (82) 3235-1016; divinagula.com.br

Maria Antonieta  
Na vasta carta assinada pelo sommelier Orlan Barros, figuram nada menos que 600 rótulos de 15 países produtores, inclusive raridades de Croácia, Áustria, Líbano, Grécia, Hungria e Marrocos – 13 deles são servidos em taça. Cabe ao chef Breno Guimarães preparar os pratos italianos. Um de  seus sucessos é o cosciotto di capretto, perna de cabrito com arroz e batatinhas.
Av. Doutor Antônio Gomes de Barros, 150, Jatiúca, tel. (82) 3202-8828; mariaantonieta-al.com.br

PORTO ALEGRE, RS

Peppo Cucina  
A proprietária Andréa Martins e seu sócio, Pedro Hoffmann, que também responde pela cozinha clássica italiana, assinam a seleção de 305 rótulos. Para harmonizar com pratos como o frango com polenta mole e mascarpone ao molho de tomates, a carta dá destaque especial às vinícolas gaúchas. Os vinhos repousam em uma adega climatizada instalada no antigo closet do casarão, com capacidade para 900 garrafas.
Rua Dona Laura, 161, Moinhos de Vento, tel. (51) 3019-7979; peppo.com.br

RIO DE JANEIRO, RJ

Cave Nacional  
Fundada em 2015 como loja virtual, a empresa tem um restobar desde 2017. O foco são os vinhos brasileiros de pequenos e médios produtores – há rótulos garimpados que, muitas vezes, só poderiam ser comprados direto das vinícolas. Não há carta. O cliente escolhe direto na adega, com assessoria do sommelier Samuel Pericles da Silva. Entre as comidinhas do chef Luciano da Silva Soares faz sucesso a coccote de goiabada com gorgonzola.
Rua 19 de Fevereiro, 151, Botafogo, tel. (21) 2146-5334; cavenacional.com.br

Olympe 
Antes de chegar à seleção de 350 vinhos, o cliente confere a seção reservada aos grandes vinhos brancos e tintos. Depois, passa pela página destinada a um único rótulo: o Côte Roannaise Cuvée Troisgros Gamay, produzido pela vinícola da família Troisgros em Roanne-France. Na carta assinada pelo sommelier Alexsander Oliveira, têm destaque produtores menos conhecidos do público, especialmente os franceses.
Rua Custódio Serrão, 62, Lagoa, tel. (21) 2539-4542; olympe.com.br

Satyricon  
Receitas mediterrâneas, com foco nos peixes e frutos do mar, fazem com que a carta de vinhos privilegie os brancos e espumantes – só para eles, há uma adega climatizada com capacidade para 920 garrafas. Outra mista, à vista da clientela, armazena mais 1.100. Ao todo, a carta assinada pelo sommelier Raphael Zanon lista 353 rótulos, com boa variedade de brasileiros e italianos. Em torno de 24 são oferecidos em taça. Um dos hits da cozinha é o marenostrum, misto de carpaccio  e tartar de peixes variados.
Rua Barão da Torre, 192, Ipanema, tel. (21) 2521-0627; Av. José Ribeiro Dantas, 500, Búzios, tel. (22) 2623-2691; satyricon.com.br

 SALVADOR, BA

Bistrot du Vin Adega 
Loja e restaurante dividem o espaço e seguem a mesma tabela de preços. A carta lista 309 rótulos, mas a variedade no empório chega a 3.600, de 18 países – é possível escolher um vinho fora da carta, para acompanhar o almoço ou jantar, e pagar o mesmo valor da prateleira. Entre os pratos do chef Cristiano Almeida faz sucesso a polenta tostada com filé-mignon ao molho de gorgonzola.
Rua Minas Gerais, 197, Pituba, tel. (71) 3231-1933; bistrotduvinadega.com.br

 Prêmio de excelência

 SÃO PAULO, SP

A Baianeira
A dupla de consultoras Daniela Bravin e Cassia Campos, da Sommelier Itinerante, responde pela seleção de vinhos. Para acompanhar a comida do Vale do Jequitinhonha que Manuelle Ferraz serve no pequeno sobrado – são famosas a galinhada e a moqueca – há apenas 13 rótulos, muito bem escolhidos entre oito pequenas vinícolas.
Rua Dona Elisa, 117, Barra Funda, tel. (11) 2538-0844.

Aizomê
A consultoria Sommelier Itinerante, de Daniela Bravin e Cassia Campos, elaborou a carta – enxuta, com apenas 23 rótulos, marca registrada da dupla. Na seleção, há apenas dois tintos. Brancos e até um Jerez são sugeridos como harmonização perfeita para o sabor umami dos pratos da chef Telma Shiraishi, a exemplo do chawan mushi de cogumelos com uni e yuzu. Destaque para a categorização dos vinhos, divididos pelas características organolépticas, como “frutados” e “minerais”.
Al. Fernão Cardim, 39, Jardim Paulista, tel. (11) 3251-5157; aizome.com.br

Antonietta Cucina
Sócio da casa, o expert em vinhos Alessandro Tagliari assina a seleção de 90 rótulos – a Itália recebe maior destaque em razão da cozinha do restaurante, na qual são preparados pratos como o sorrentini de abóbora e o polvo na chapa com creme de pistache, tomatinhos confitados e batatas douradas com cebola-roxa. Brasil, Espanha, Argentina, Portugal, Uruguai, França e Estados Unidos também são bem representados.  Rua Mato Grosso, 402, Higienópolis, tel. (11) 3214-0079; antoniettasp.com.br

Arabia
As especialidades árabes da chef Leila Kuczynski, a exemplo do arroz marroquino com frango e amêndoas temperado com canela, pedem a companhia dos vinhos selecionados pelo sommelier Carlos Carrillo. São 30 rótulos servidos au pichet, como são chamadas as jarrinhas de 250 mililitros. Embora a carta passeie do Mediterrâneo à Patagônia, os vinicultores libaneses têm destaque.
Rua Haddock Lobo, 1397, Jardim Paulista, tel. (11) 3061-2203; arabia.com.br

Bardega 
O grande atrativo do wine bar são os vinhos em taça. Dos 110 listados na carta, 96 são vendidos em doses de 30, 60 e 120 mililitros, facilitando a harmonização com os petiscos e pratos preparados pela chef Bruna Botelho Silva. O sommelier Luís Otávio Álvares Cruz mescla vinhos de produtores renomados e de pequenas vinícolas. Parte vem de países pouco explorados, como Israel, Líbano, Hungria, Eslovênia e Áustria.
Rua Doutor Alceu de Campos Rodrigues, 218, Itaim Bibi, tel. (11) 2691-7578; bardega.com.br

Canaille Bar
O informal wine bar tem ótima seleção de rótulos abaixo de 100 reais. A carta com mais de 50 opções de vinho é objetiva e na maioria dos casos traz soluções que fogem da habitual. Uma prova de que é possível encontrar vinhos honestos, com preços justos e adequados à proposta gastronômica. Vinhos orgânicos ou biodinâmicos são identificados por um símbolo.
Rua Cristiano Viana, 390, Cerqueira César, tel. (11) 3898-3102; canaille.com.br

Casa do Chef Bistrô by Eduardo Castro
A casa de culinária mediterrânea, que funcionava em Angra dos Reis, no Rio de Janeiro, se transferiu em maio deste ano para São Paulo. O chef português Eduardo Castro prepara receitas de inspiração ibérica. Com 60 rótulos, a carta assinada pelo sommelier Valdomiro Dutra se detém em Portugal, Brasil, França, Espanha e Nova Zelândia. Em taça ou jarra de 750 mililitros, os vinhos da casa (tinto, branco e rosé) são da vinícola portuguesa Quinta de São Sebastião.
Rua Marechal Hastinfilo de Moura, 233, Morumbi, tel. (11) 2528-0175; casadochefeduardocastro.com.br

Casa Europa  
A carta de vinhos e o cardápio acompanham o nome da casa e dão destaque aos sabores de Itália, França, Espanha e Portugal. Para acompanhar os pratos do chef Sival Silva Andrade, entre eles o substancioso pappardelle com ragù de pato, o sommelier Charles Campos acena com 89 rótulos – 23 deles servidos também em taça.
Al. Gabriel Monteiro da Silva, 726, Jardim Paulistano, tel. (11) 3063-5577; casaeuropa.com.br

Casa Santo Antônio
Cerca de 70 rótulos, com bom sortimento de países e estilos, formam a carta assinada pelo sommelier Bruno Taddeucci. Espumantes, brancos, tintos e vinhos de sobremesa escoltam os pratos clássicos preparados pelo chef Rafael Januzzi, entre eles o tortelli de brie e fonduta de parmesão com manteiga de trufas brancas.
Av. João Carlos da Silva Borges, 764, Vila Cruzeiro, tel. (11) 4328-6205; casasa.net/novo

Corrutela
Daniela Bravin e Cassia Campos, da consultoria Sommelier Itinerante, organizaram a enxuta carta, com apenas 16 rótulos de oito países, a partir dos tipos de solo – que elas defendem como um elemento importante na composição do caráter do vinho. A seleção muda no ritmo da cozinha do chef Cesar Costa, que privilegia ingredientes sazonais e faz tudo dentro de casa. Até o milho usado no preparo da polenta é moído lá mesmo, em moinho de pedra.
Rua Medeiros de Albuquerque, 256, Pinheiros, tel. (11) 3031-2443.

Jacarandá
Embora a América do Sul dê o tom da cozinha, o Brasil aparece com mais destaque – um dos pratos mais pedidos é o polvo na brasa com arroz negro e molho de castanha-do-pará. Na carta de vinhos, os rótulos orgânicos recebem um apontamento. A carta traz 57 rótulos de nove países, com foco na França, no Chile e em Portugal. Seis deles são servidos em taça.
Rua Alves Guimarães, 153, Pinheiros, tel. (11) 3083-3003; jacarandabr.com.br

La Frontera
A casa de Ana Massochi destaca a cozinha sul-americana por meio de receitas simples em que os ingredientes brilham e a grelha que pode ser vista do salão indica de onde saem os pratos mais pedidos. A carta de vinhos elaborada pelo novo sommelier da casa, Marcelu Dvin, mantém o foco em rótulos sul-americanos, boa parte de vinícolas artesanais.
Rua Cel. José Eusébio, 105, Higienópolis, tel. (11) 3159-1197; restaurantelafrontera.com.br

Praça São Lourenço
O sommelier Gustavo dos Santos lista 75 rótulos na carta – 11 deles podem ser pedidos em taça. Não há informação sobre a safra porque toda a seleção é de vinhos jovens e frescos, sobretudo da América do Sul – são cinco as vinícolas nacionais contempladas. A casa é famosa pelo bufê, mas também há serviço à la carte. Um dos pratos de destaque é o vitelo à milanesa na lenha com nhoque de abóbora na manteiga de manjerona.
Rua Casa do Ator, 608, Vila Olímpia, tel. (11) 3053-9300; pracasaolourenco.com.br

Tonton 
O proprietário Gustavo Rozzino assina a carta de vinhos, composta de 75 rótulos. Prevalecem os pequenos produtores europeus orgânicos e biodinâmicos, mas também há opções do Brasil e de outros países da América do Sul. Da cozinha de Rozzino, saem receitas de múltiplas influências, a exemplo da porchetta assada por 12 horas.
Rua Caconde, 132, Jardim Paulista, tel. (11) 2597-6168; tontonsp.com.br

Tordesilhas
A premiada cozinha brasileira da chef Mara Salles é complementada pela carta de vinhos elaborada por seu marido e sócio, Ivo Ribeiro. Pratos como pato no tucupi e baião de dois podem ser escoltados por 66 rótulos de nove países produtores – há espaço para pequenas vinícolas, inclusive produtores biodinâmicos e orgânicos. Bem organizada, a carta traz informações completas sobre cada vinho.
Al. Tietê, 489, Jardim Paulista, tel. (11) 3107-7444; tordesilhas.com

COTIA, SP

Felix Bistrot  
Na antiga casa de campo transformada em restaurante, a clientela é brindada com pratos do chef francês Alain Uzan – as ostras gratinadas à moda de Nantes são sua especialidade – e uma bem fornida carta de vinhos, com 90 rótulos. Treze deles estão em taça. Rótulos da França ocupam boa parte da lista assinada pelo sommelier Allysson Oliveira.
Rua José Felix de Oliveira, 555, Granja Viana, tel. (11) 4702-3555; felixbistrot.com.br

 SANTANA DE PARNAÍBA, SP

La Cucina Piemontese
Com 65 rótulos, a carta assinada pela sommelière Fabiana Gherardini harmoniza com os pratos preparados pelo chef Leandro Polack – ingredientes da região italiana do Piemonte, como ossobuco, polenta e trufas, são constantes no menu. Os vinhos são garimpados entre pequenos produtores de regiões tradicionais, como Bordeaux, Alentejo e Mendoza, com espaço para a Guatambu, da Campanha Gaúcha.
Av. Valville, 550, Alphaville, tel. (11) 4154-4617; lacucinapiemontese.com.br

SÃO ROQUE, SP

Cantina Piovanelli  
O proprietário Ailton Piovan é o responsável pela cozinha, que tem as massas frescas como uma das especialidades – o sofioli de mussarela de búfala ao molho rústico de tomates concorre com a famosa porchetta. A carta lista 66 rótulos de dez países produtores – há forte presença do Velho Mundo, mas produtores das Américas e Austrália também estão na lista.
Rua Antonino Dias Bastos, 21, loja 5, Centro, tel. (11) 4784-4680; facebook.com/cantinapiovanelli/

RECIFE, PE

Nez Bistrô 
Pratos que levam vinho como ingrediente, a exemplo do ossobuco ao vinho tinto preparado pela chef Marcella Souto de Barros Carvalho, harmonizam com os 74 rótulos da importadora Zahil, provenientes de 11 países – o wine bar trabalha ainda com a vinícola paulista Guaspari. A carta, com informações sobre cada vinho e dicas de harmonização, pode ser consultada em versão impressa ou no tablet, em 11 idiomas.
Pça. de Casa Forte, 314, Casa Forte, tel. (81) 3441-7873; nezbistro.com.br

RIO DE JANEIRO, RJ

Bazzar 
A cozinha do chef Claudio de Freitas privilegia produtos sazonais locais – o beijupirá com pirão de farinha de Cruzeiro e maxixe é uma de suas criações. Os vinhos, no entanto, vêm das principais regiões do mundo. Assinada pelo sommelier Ivo Arias com supervisão da proprietária e enófila Cristiana Beltrão, a carta lista 92 rótulos, dos quais 27 são naturais, biodinâmicos ou orgânicos. Todos os vinhos são servidos em taça, seguindo uma seleção que muda diariamente. Neste ano, a casa começa a oferecer também uma carta de vinhos sazonal, que acompanhará as estações do ano.
Rua Barão da Torre, 538, Ipanema, tel. (21) 3202-2884; bazzar.com.br

Irajá Gastro 
A cozinha inventiva do chef Pedro de Artagão, nas quais se destacam pratos como o polvo com compota de pimentão e manga, combina com a seleção de vinhos a cargo da sommelière Julieta Carrizzo. A carta é enxuta – apenas 25 rótulos por vez, que mudam sempre. Todos vêm de vinícolas nacionais, garimpados entre pequenos produtores do Rio Grande do Sul, Santa Catarina e São Paulo.
Rua Conde de Irajá, 109, Botafogo, tel. (21) 2246-1395; irajagastro.com.br

Matérias Relacionadas