Prazeres da mesa

Viagens

Tesouros da roça

As cidades de Passos e São João Batista do Glória, em Minas Gerais, abrigam pequenos produtores em fazendas, sítios e pousadas que fazem um trabalho excepcional

Por: Prazeres Da Mesa | 11.jul.2018

Por Stephanie Vapsys, de Passos*

Fotos António Rodrigues 

Tesouros da roça Apesar de fazer parte do circuito da Serra da Canastra, a pacata cidade de Passos não costuma ser um destino muito lembrado por turistas. Com população estimada em pouco mais de 110.000 habitantes, a cidade reflete bem o estilo interiorano, com estradas estreitas de terra, movimento tranquilo e clima seco e quente. Os pontos de referência são a Capela de Nossa Senhora da Penha, a Igreja Matriz do Senhor Bom Jesus dos Passos, ambas construídas no século XIX, e a usina de açúcar e fábrica de fermento do grupo Itaiquara, onde trabalha boa parte dos moradores da região.

Localizado a 15 quilômetros de Passos, o município de São João Batista do Glória reúne as principais pousadas da região. É lá também que os moradores de Passos costumam se encontrar depois do trabalho ou passeiam durante os dias de folga. Além dos bares, outro atrativo da pequena cidade de 553,3 quilômetros quadrados é o Complexo de Cachoeiras Paraíso Perdido, que engloba oito cachoeiras, três ribeirões e 18 piscinas naturais.

Passeando pelas duas cidades, além de nos deparar com paisagens naturais de tirar o fôlego, encontramos muitos tesouros gastronômicos escondidos dentro de fazendas, sítios e pousadas. Esse é o caso da carne de lata do Barão. Localizado a 4 quilômetros de São João Batista do Glória, o Cantinho de Minas é um dos lugares mais movimentados da região. Fundado há 12 anos por Luiz Fabiano da Silva, o Barão, como é conhecido por todos, é bar, restaurante e pousada e se tornou popular após a inauguração da ponte que liga Passos a São João Batista do Glória. “Desde o início o movimento era bom, só que antigamente para chegar de Passos era necessário pegar uma balsa, e a travessia demorava, em média, 2 horas. Quando começaram a construir a ponte, resolvi aumentar o espaço. Assim que ela foi inaugurada, o bar estourou.”

Tesouros da roça

Parte do sucesso do restaurante se dá pelo carinho com que Barão atende os clientes e, claro, pela saborosa carne de lata, receita de sua avó que hoje é reproduzida pela sogra. “É, sem dúvida, o carro-chefe. Todo mundo conhece, pede e até leva para casa.” O sucesso é tamanho que o Sebrae entrou em contato com Luiz Fabiano e eles fecharam uma parceria para desenvolver uma embalagem para que a carne de lata possa ser vendida em outros estabelecimentos. A iguaria é uma mistura de cortes bovinos ou suínos cozidos na própria gordura. Na versão do Barão, a receita vem acompanhada de arroz, feijão, ovo mexido e salada.

A 2 quilômetros do Cantinho de Minas fica o sítio Lambari, administrado por Elza Marques. Antes, o sítio abrigava um restaurante, mas nos últimos anos Elza decidiu se dedicar à produção de doces e queijos artesanais. “Há um ano e meio, comecei a vender doces, mas as pessoas vinham até aqui e sempre perguntavam se também tinha queijo canastra. Então, percebi que não dava para vender um sem o outro”, afirma. Atualmente, Elza compra 35 litros de leite diariamente, e essa quantidade já não é mais suficiente. “Pretendo comprar mais 35 litros e dobrar a produção. Em feriados ou nos fins de semana, o queijo acaba muito rápido.”

A mesma situação se repete na Fazenda Capetinga, onde moram Ana Maria Garcia e Maria da Penha Barbosa. As duas ficaram famosas na cidade por produzir os melhores doces feitos em tacho. “É simples, mas é elaborado com muito carinho”, afirma Ana Maria, que faz os doces há cinco anos. O carro-chefe de Ana Maria é o doce de leite, mas ela também produz doce de banana, de abóbora, de amendoim e goiabada.

Maria da Penha aprendeu ainda criança com a mãe a fazer goiabada. “Faço desde sempre. Antigamente passávamos muita dificuldade, e esse era um jeito de conseguir ajudar minha família”, diz. Há cerca de dois anos, ela também faz pé de moleque, mas só por encomenda. Maria da Penha e o marido, José dos Reis Barbosa Filho, vendem a goiabada nas ruas da cidade e em pousadas. Os moradores de Passos reconhecem de longe sua receita, assim como o doce de leite de Ana Maria.

01/12

Encantos e Sabores

Chef Roberta Rocha

Chef Roberta Rocha

Histórias como de Luiz Fabiano da Silva, Elza Marques, Ana Maria Garcia e Maria da Penha Barbosa se repetem por toda a região de Passos, mas, infelizmente, quem não mora próximo da cidade mineira desconhece o potencial gastronômico do lugar. Essa situação sempre incomodou a cozinheira Roberta Rocha, que decidiu realizar o primeiro festival gastronômico na cidade. “Aqui temos muitos produtos, pratos e talentos, mas estamos tratando de um povo muito retraído, por isso eu sentia a necessidade de divulgar e valorizar a gastronomia local”, afirma.

Natural de Passos, Roberta Rocha teve de se mudar para o estado de São Paulo para conseguir se especializar. De volta à cidade após 15 anos, ela percebeu que pouco havia mudado e resolveu intervir. “Falta mão de obra especializada na região. As pessoas gostam de cozinhar, se dedicam, mas falta capacitação. Aqui não temos nenhuma escola de gastronomia, e essa foi uma das razões pelas quais decidi trazer um evento desse porte para Passos.”

Roberta convidou 11 chefs do Cozinheiros Sem Fronteiras, movimento de que ela faz parte, para participar da primeira edição do Festival Gastronômico Encantos & Sabores do Sul de Minas. No primeiro dia, cada chef deu uma aula de receitas que valorizam a culinária mineira. “Minas é o berço da gastronomia nacional. Aqui concentramos uma infinidade de pratos que vemos por todo o Brasil”, afirma Roberta. Durante as aulas, o público pôde aprender desde clássicos mineiros, como tutu e feijão-tropeiro, até pratos esquecidos, como o feijão-ferrado, feito pela chef Elzinha Nunes, do restaurante Dona Lucinha.

No dia seguinte, os chefs realizaram um jantar beneficente com a renda revertida para a Apae, de Passos. “A fundação Cozinheiros Sem Fronteiras trabalha em prol do social. Todos os eventos que fazemos são com intuito de ajudar uma instituição”, afirma Roberta. Para ela, o festival tinha a finalidade tanto de ajudar a Apae quanto a comunidade local.

 Emocionada com o sucesso de público, ela já planeja outras edições. “No começo, imaginei que seria algo pequeno, mas o movimento cresceu demais. Estou maravilhada com tudo, o público está bem maior do que esperava e vejo as pessoas alegres e elogiando. Estão até me perguntando quando será o próximo, e é algo automático. Quando terminamos o primeiro, já pensamos no seguinte. Então, sim, haverá outra edição.”

01/12

Mais surpresas

O festival foi uma ótima atração também para os turistas, que puderam conhecer ainda melhor os pequenos produtores da cidade. Além do Cantinho de Minas e da Fazenda Capetinga, marcaram presença a D’ocê Gelateria, o Bistrô Canastra, a Rapadura Caiana, a Well’s Beer e a Your Beer.

Comandada por Ligia Araújo, a D’ocê Gelateria usa a técnica italiana para produzir gelatos mineiros, como o de queijo canastra com goiabada. A gelateria, fundada em 2016, é pioneira em Passos.

O Bistrô Canastra, que fica em São João Batista do Glória, levou doces de laranja, cidra, figo, goiaba e banana, farofa de soja, bala na palha e queijos da Serra da Canastra. O restaurante comandado por Cecília Leite é um dos mais conhecidos na cidade.

Produzida há mais de duas décadas no sítio Formosa da Serra, em Passos, a Rapadura Caiana é feita há mais de três gerações pela família de João Bento. No festival, eles lançaram a rapadurinha, uma versão míni do produto.

A Well’s Beer e a Your Beer mostraram que o sul de Minas também produz cerveja artesanal. Comandada pelo Well Martins, a Well’s Beer, em São João Batista do Glória, produz cervejas nos estilos Weiss, Porter e Pale Ale. Já a Your Beer, além de vender mais de 100 rótulos de cerveja, é a primeira loja de insumos e equipamentos para a produção cervejeira em Passos. Aluísio Pimenta, proprietário da Your Beer, conta que sentiu a necessidade de uma loja especializada depois de começar a produzir a própria cerveja no fim do ano passado.

O evento também abriu as portas para marcas de outras regiões, caso do café Barão de Guaxupé, da cidade mineira Guaxupé, e a Cachaça Wiba!, do especialista Wilson Barros, de São Paulo.

Os produtos do Cantinho de Minas, comandado por Luiz Fabiano da Silva

Os produtos do Cantinho de Minas, comandado por Luiz Fabiano da Silva

Serviço

• Cantinho de Minas Bar & Restaurante, Estrada Glória/Lambari,

km 2, Saída Parque de Exposições, São João Batista do Glória;

fb.com/baraocantinhodeminas

• Sítio Lambari, Estrada Glória/Lambari, km 4, Saída Parque de Exposições, tel. (35) 98417-8845, São João Batista do Glória

• Fazenda Capetinga, saída da Estrada São João Batista do Glória, sentido Delfinópolis, tel. (35) 99869-1927

• D’ocê Gelateria, Av. Comendador Francisco Avelino Maia, 3322,

tel. (35) 98800-7117, Passos; fb.com/docegelateria

• Bistrô Canastra, Av. Avelino Soares Resende, 75-83,

tel. (35) 99198-0282, São João Batista do Glória

• Rapadura Caiana, tel. (35) 99106-3772, Passos; fb.com/rapaduracaiana

• Your Beer, Av. da Moda, 1402, tel. (35) 9913-0046, Passos;

fb.com/LojaYourBeer

 *A reportagem viajou a convite do Festival Gastronômico Encanto & Sabores

Matérias Relacionadas