Prazeres da mesa

Reportagem, Vinhos

Vinhos para celebrar

Uma seleção de bons rótulos para festejar e brindar o Natal e a chegada do Ano-Novo

Por: Prazeres Da Mesa | 11.dec.2017

Por Marcel Miwa e Ricardo Castilho

Fotos RJ Castilho

Confira abaixo uma seleção de bons rótulos para festejar e brindar o Natal e a chegada do Ano-Novo

Espumante Hermann Lírica Crua

lirica cruaPinheiro Machado (RS) – Brasil

A ousadia de lançar um espumante sem retirar as borras das leveduras, que permite a constante evolução do vinho, se mostrou um grande acerto da família Hermann. Feito com Chardonnay (80%) e partes iguais de Gouveio e Pinot Noir cultivadas na serra do sudeste gaúcho, o espumante tem visual levemente túrbido, que não afeta sua apreciação. Além disso, muda a textura da bebida, levemente cremosa e com elegantes aromas de panificação (fermento cru), amêndoa, caju, pera e flores. O frescor é exemplar e deixa a sensação de boca limpa no final.

R$ 76,40 Decanter

Estrelas do Brasil  Dall’Agnol Fumé Blanc 2015Estrelas do Brasil Dall’Agnol Fumé Blanc 2015

Nova Prata (RS) – Brasil

Além de ser fácil de agradar e beber, este Sauvignon Blanc fermentado em barricas de carvalho (americano) é capaz de “derrubar” muitos degustadores experientes. Inspirados no Fumé Blanc americano de Robert Mondavi, os sócios Irineo Dall’Agnol e Alejandro Cardozo fizeram este branco com aromas de limão e nectarina e um toque de marzipã. A acidez típica da variedade está presente e dá leveza ao conjunto. A madeira aparece de forma sutil. A vinícola, conhecida pelos ótimos espumantes, prova que também sabe jogar fora desse universo.

R$ 40; estrelasdobrasil.com.br

bourgogne-rouge-2011Clotilde Davenne Borgonha, França

Bourgogne Rouge 2013

Nunca é fácil dar os primeiros passos na Borgonha. E a culpa não é da tipicidade da Pinot Noir nessa região, o grande vilão são os preços. Expressões genéricas dos tintos da Borgonha costumam ser excessivamente leves e diluídos (ainda que o normal sejam vinho com pouca cor e concentração), com apenas algumas referências de frutas vermelhas. Não é o caso deste vinho. No nariz, aparecem cereja fresca, folha seca, ervas e giz; na boca, vêm acompanhados de taninos muito finos e acetinados, ótimo frescor e final com leve toffee.

R$ 115; De la Croix

Wellington Nemeth - FotografoSan Marzano Primitivo di Manduria Sessant’anni 2012

Puglia, Itália

A Primitivo se mostrou adequada ao gosto do consumidor brasileiro, mas sofre algum preconceito em círculos de enófilos por sua potência e doçura. Trata-se de um vinho potente e concentrado, repleto de frutas maduras (figo, ameixa e geleia de cereja) e especiarias, dadas pelos 12 meses em barricas de carvalho. Os taninos muito finos e nada agressivos e a acidez comportada são coerentes com o clima (quente) da região onde foi feito. Tanta força quando colocada na ocasião certa pode render uma experiência sensacional.

R$ 289; Grand Cru

quinta-do-noval-unfiltered-lbvQuinta do Noval LBV Unfiltered 2008

Porto, Portugal

Talvez o mais conhecido vinho de sobremesa entre os brasileiros, o Porto não deve ficar de fora de nossa lista. Dentro da família dos Rubies (Porto que não passa longos períodos em barris, mantendo o perfil frutado no primeiro plano), o LBV está entre o Ruby genérico ou Reserva e o Vintage. Quando feito por produtores de exceção, como a Quinta do Noval, o LBV pode ganhar expressão próxima de um Vintage. Hoje ainda se mostra concentrado e com aromas de cereja, violeta e cacau. Na boca, o álcool está muito bem casado, há ótimo frescor e taninos finos e muito macios.

R$ 310,32; Adega Alentejana

Latoller

LatollerVale dos Vinhedos, Brasil

Uma das boas novidades brasileiras deste ano, este espumante foi feito especialmente para a cantora Paula Toller. Produzido pelo vinhateiro Luís Henrique Zanini, por meio do método Charmat, com as uvas Pinot Noir (25%) e Chardonnay (75%), apenas 3.000 garrafas, o rótulo foi desenhado pela designer Fernanda Villa-Lobos e cada garrafa traz o nome de uma música da cantora. Muito fresco e frutado, mostra bom perlage, intenso, e com borbulhas pequenas e elegância no paladar.

R$ 88,50 ; Vallontano/Mistral

La Garnacha de Aragón 2009La Garnacha de Aragón 2009

Calatayud, Espanha

Este 100% Garnacha faz parte do Projecto Garnachas de España, que surgiu com a missão de mostrar o grande potencial dessa uva para fazer vinhos elegantes e potentes e também com grande potencial de envelhecimento. Este vem de vinhedos com cerca de 70 anos de idade, mostra aroma intenso de frutas negras e notas de chocolate, vindas do carvalho francês que guardou o vinho por dez meses. Na boca, é complexo, longo e de final delicioso.

R$ 221,77; Vinissimo

3B Blanc de Blancs3B Blanc de Blancs

Beiras, Portugal

As uvas Bical, Cercial e Maria Gomes foram trabalhadas e unidas com maestria pela enóloga Filipa Pato, uma das mestres da enologia de Portugal. A prensa das uvas

é feita de maneira bastante suave, que depois partem para fermentar com leveduras indígenas. O resultado é um espumante intenso no aroma de frutas frescas e boas notas minerais. Na boca, é cheio de frescor e com muita fruta.

R$ 99,90; Casa Flora/Porto a Porto

morgado silgueirosMorgado Silgueiros 2013

Dão, Portugal

Delicioso corte de Malvasia Fina e de Encruzado, duas uvas que se mostram muito bem no Dão. Silgueiros está localizada perto de Viseu, no coração da região demarcada. Corpo leve, mas com muita fruta e frescor, que fazem dele um grande companheiro para quem está nas regiões de praia, que pedem vinhos brancos desse porte.

R$ 46; La Pastina

Framingham Sauvignon Blanc 2014 Marlborough_Nova ZelândiaFramingham Sauvignon Blanc 2014

Marlborough, Nova Zelândia

A Nova Zelândia e a uva Sauvignon Blanc têm uma afinidade fantástica. O resultado
é quase sempre vinhos refrescantes, aromáticos – com muito maracujá e notas herbáceas – e com acidez perfeita. Tem bom corpo e final intenso, perfeito para harmonizar com peixes, frutos do mar ou apenas para bebericar.

R$ 238; Zahil

Domaines-Leflaive-Mcon-Vrze-BottleDomaines Leflaive Mâcon-Verzé 2014

Borgonha, França 

Uma lista de vinhos para a festa precisa conter um Borgonha, e este é um dos melhores que a famosa região francesa de brancos produz. Essa casa, fundada em 1717, tem parcelas de uvas nos melhores vinhedos da região. É um branco completo, mesclando fruta e floral, notas minerais e elegância única.

R$ 375; Clarets

don melchorDon Melchor 2012

Maipo Valley, Chile 

O Chile é o país que mais vende vinhos no Brasil, e o Don Melchor é um de seus ícones, um dos tintos pioneiros em pôr o país no mapa mundial da produção de qualidade. Nessa safra se trata basicamente de um Cabernet Sauvignon. O enólogo Enrique Tirado consegue fazer um vinho elegante, complexo, de taninos finos e com grande potencial de envelhecimento.

R$ 579; VCT

 *Os preços foram checados em outubro de 2016 e podem sofrer alteração 

Matérias Relacionadas