Colunas

Wagyu japonês premium chega ao Brasil

O marmoreio e o sabor amanteigado fazem desta carne uma iguaria gastronômica

Assim que cheguei a um complexo frigorífico na cidade de Louveira, localizada a aproximadamente 75 quilômetros da cidade de São Paulo, encontrei Marcelo Shimbo. Ele estava na sala de reuniões da Prime Cater, empresa que preza pela carne premium no Brasil e que é detentora da marca Empório 481.

Conheci o Marcelo bem antes daquele dia, pois ele e a sua esposa são fãs de saquês. Bom, nos reunimos na sala junto a diretoria da Japan External Trade Organization (Jetro), que me convidou para fazer esta cobertura, para o Consulado Geral do Japão e também como correspondente e jornalista da Agência JIJI Press de Tokyo.

Os primeiros 300 quilos de wagyu chegando ao Brasil

Shimbo nos apresentou um resumo sobre o mercado de carnes, todo o cuidado que ele tem pela segurança alimentar e sobre como cada centímetro da área de processamento dos produtos é monitorado. Se há variação de 0,1 grau em uma das câmaras refrigeradas, é disparado um alarme no aplicativo de seu celular. Há até uma sala dedicada à documentação para atender o rigor da legislação brasileira.

Continua após o anúncio

Conhecendo a fábrica

Antes de conhecer a estrutura da fábrica, nos vestimos de astronauta. Sim, só faltou o capacete.O que chamou muita a minha atenção – além de todo o aparato, tecnologia e mão de obra que foram colocadas no processamento – é a forma meticulosa da logística. Há um seção considerável só para embalagens, só que de um tamanho diferente do outro. Isso mesmo.

A Prime Cater entrega o que o cliente pedir. Quer com mais ou menos capa de gordura, desossado ou não, moído ou não. Ou seja, faz de tudo para que não haja desperdício e o cliente só pague o que usar.

O empresário Marcelo Shimbo e o corpo consular do Japão

 

Digamos que a fábrica faz o papel de produtor, processador e açougueiro. Facilitando ao restaurante não ter que ficar martelando a cabeça para precificar os pratos em cima de uma peça assimétrica. Muito legal o pensamento de prestar atenção em todo o circuito.

A degustação

Agora vamos ao que interessa. A Prime Cater é a primeira empresa a trazer um genuíno wagyu criado em Kagoshima para a importação no Brasil. Em japonês, é chamado de Kagoshima Kuroushi tanto o animal, quanto sua carne.

É bastante comum ouvir no exterior sobre o kobe beef ou kobegyu. Também é bastante notório o matsusakagyu de Mie. Porém, muitos não sabem que o Kagoshima Kurousihi tem ganhado uma série de competições tanto pela qualidade, quanto pelo volume de criação. A carne tottori wagyu também tem conquistado a atenção dos produtores de wagyu no Japão.

O steak de 600 gramas de wagyu

 

Depois do tour pelas instalações, partimos para a parte mais saborosa: uma generosa peça de 600 gramas de contra filé de Kagoshima Kuroushi nos esperava na sala de reunião, para ser assada na chapa. Uma diferença nítida deste para outros wagyu de procedência não japonesa, é a cremosidade da gordura. A carne começa a derreter já com o calor da mão.

Um experimento que eu fiz, foi colocar uma fina fatia do wagyu sobre uma tigela de arroz fresquinho. Somente o vapor já começa a derreter a gordura. E, claro, ao comer esta carne, encontramos uma textura macia. quase não há necessidade de mastigá-la.

Onde todos estavam enquanto a carne era assada? Na mesa de reunião? Nem pensar. Foi até difícil de tirar as pessoas para fotografar esta belezura.

Harmonizando com saquê

Como um bom apreciador de saquê que é, o Marcelo Shimbo nos presenteou com uma degustação de wagyu com Hakutsuru Honjouzou Karakuchi de Hyogo.

A carne preparada apenas no sal é uma manteiga, saborosa, macia demais. O suco e a gordura da carne preenchem a boca. Agora, se acrescentar mais algumas pitadas de sal, aí é para se afogar no umami.

O shoyu Kikkoman causou um efeito mais nobre, remetendo a chocolate amargo no nariz. Isso porque estamos falando apenas sobre a carne. Quando vem o saquê, é uma bomba de umami. A bebida é bem seca, como um animal feroz, mas é amansada pela gordura e pelo sal. Difícil era parar de comer e beber. Juro.

E, para ver que a Prime Cater sempre prioriza o consumidor final, também dispõe de um e-commerce para que você possa preparar a sua carne em casa. E sem desperdício.

Saboreie o Japão!

Etiquetas
Mostrar mais

Alexandre Tatsuya Iida

É embaixador de saquê no Brasil, título mais conhecido como Sake Samurai, outorgado por The Japan Sake Brewers Association Junior Council

Artigos relacionados

Leia também

Fechar
Botão Voltar ao topo