Destaque PrincipalMelhores do AnoNotícias

Melhores do Ano Prazeres da Mesa 2018-2019

Confira quem são os vencedores do prêmio que elege os destaques da gastronomia

Foi bonito de ver o empenho dos finalistas ao longo dos 21 dias (de 2 a 23 de maio) em que aconteceu a votação popular do prêmio Melhores do Ano. Teve muita campanha nas redes sociais, mas também no dia a dia, pedindo ajuda aos clientes e amigos. E o resultado desse esforço, portanto, é a maior votação de Prazeres da Mesa dos últimos anos. Foram 24.724 votos e, acredite, cada um deles foi essencial para o resultado que você confere nas páginas a seguir.

Chef Revelação, Chef Pâtissier e Livro do Ano foram as categorias mais concorridas. As pessoas demoraram, em média, 4 minutos e 7 segundos para responder ao questionário. Neste ano, um sistema ainda mais rigoroso controlou os votos por robô ou feitos pelo mesmo número de IP, bloqueando e excluindo aqueles que descumpriram a regra de votação.

Como funciona

O prêmio Melhores do Ano acontece em duas fases. Na primeira delas, especialistas do setor – como chefs, restaurateurs, críticos e estudiosos da alimentação –, indicaram seus favoritos em cada uma das categorias (confira aqui os nomes dos 176 experts que participaram neste ano). Depois, nossa equipe apura os resultados e os mais votados se tornam finalistas e vão para votação popular.

Continua após o anúncio

São exceção à regra: Personalidade da Gastronomia e Responsabilidade Social, escolhidas pela equipe de Prazeres da Mesa. Além delas, uma novidade desta edição é a premiação de Restaurateur do Ano, eleito por Prazeres da Mesa e pela diretoria da Escola de Gestão em Negócios da Gastronomia (EGG).

A premiação ainda inclui o segmento de bebidas. Clique e confira os vencedores de Melhores do Vinho (incluindo o Sommelier do Ano), as Melhores Cartas de Cerveja (incluindo a Personalidade da Cerveja), e as Melhores Cartas de Bebidas (com o Bartender do Ano).

Os vencedores

Restauratrice do Ano

Renata Vanzetto

Renata Vanzetto, Restauratrice do Ano

É preciso talento para gerenciar um restaurante. Pensar na harmonia entre salão e cozinha, estar o tempo todo a par da operação e atentar para cada detalhe do empreendimento, como decoração, cardápio e equipe são apenas algumas das muitas tarefas de um restaurateur. E Renata Vanzetto sabe bem disso. À frente de oito projetos, a jovem chef e empreendedora leva o título de Restauratrice do Ano por sua invejável energia em gerir, com maestria, seus restaurantes.

Entre São Paulo e Ilhabela, junto à família, Renata administra o Marakuthai (três endereços), o Ema, o Matilda, o MeGusta, a Casa Marakuthai e o recém-aberto Muquifo. Além da parte administrativa, em todos eles é ela quem assina o menu. Vem de suas memórias afetivas, muitas da avó, a inspiração para elaborar as receitas, sempre repletas de sabor e técnica.

As primeiras experiências na cozinha começaram ainda na infância, como forma de suprir a falta de talentos culinários dos pais. Já certa de que a gastronomia seria seu futuro, aos 17 anos, partiu para a Europa e estagiou em casas na França e na Espanha, além do restaurante Noma, na Dinamarca, o que lhe assegurou boa base para aplicar em seus empreendimentos em solo brasileiro. Mais de uma década depois, hoje Renata garante que é o apego às minúcias que consolida o sucesso de suas casas e de sua carreira como restauratrice.

    Artesão da Gastronomia

    Eugênio Basile – meles, Mbee (São Paulo, SP)

    Eugênio e Márcia Basile criaram a Mbee com a ideia de revolucionar o uso dos meles na cozinha. O trabalho é feito com diversas espécies de abelha, incluindo as nativas, e sempre com foco na sustentabilidade. O casal foi responsável por levar a temática para a alta gastronomia e hoje já se encontram diferentes pratos de grandes restaurantes paulistanos que têm o mel como ingrediente.

    Tel. (11) 97230-1642; mbee.com.br

    Outros finalistas

    • Armando Rollemberg – queijos, Cabra Chic (Brasília, DF)
    • Bento Mineiro – queijo, Cuesta Azul (Pardinho, SP)
    • Oscar Paiva – utensílios gastronômicos, Pedra-Sabão (Osasco, SP)
    • Rafa Bocaina – conservas, embutidos, pães, queijos, geleias; Curiango (Silveiras, SP)
    Banqueteiro do Ano

    Emmanuel Bassoleil, Hotel Unique (São Paulo, SP)

    Dos hotéis mais luxuosos de São Paulo, o Unique recebe eventos com todo o requinte e delicadeza. À frente da cozinha está o chef francês Emmanuel Bassoleil – atualmente no programa Top Chef, da Rede Record –, dono de uma cozinha criativa e impecável e de um vasto currículo, com mais de 20 anos de história. O salão do hotel, de 2.000 metros quadrados e capacidade para até 800 convidados, recebe festas glamorosas e personalizadas.

    Avenida Brigadeiro Luís Antônio, 4700, Jardim Paulista, tel. (11) 3055-4700; hotelunique.com.br

    Outros finalistas

    • Buffet Fasano (São Paulo, SP)
    • Neka Menna Barreto, Neka Gastronomia (São Paulo, SP)
    • Viko Tangoda, Viko Gastronomia (São Paulo, SP)
    • Wanderson Medeiros, WGourmet (Maceió, AL)
    Melhor Bar

    Astor (São Paulo e Rio de Janeiro)

    Criado em 2001 na Vila Madalena pelos sócios da Cia. Tradicional do Comércio, o conceito do Astor é inspirado nos bares dos anos 1950 e 1960. O balcão, espaço onde ficam os clientes que querem apreciar os chopes bem tirados, foi garimpado de um antigo bar da Filadélfia, nos Estados Unidos, e tem cerca de 130 anos. O bar que atualmente tem duas unidades em São Paulo e uma no Rio de Janeiro aposta em uma culinária mais sofisticada, com influência da cozinha francesa, para encantar os boêmios. Na ala dos coquetéis, há drinques autorais e tradicionais. O estabelecimento foi um dos primeiros do país a ter uma carta dedicada ao gim-tônica.

    Diversas unidades; barastor.com.br

    Outros finalistas

    • Apothek (São Paulo, SP)
    • Boca de Ouro (São Paulo, SP)
    • Guarita (São Paulo, SP)
    • Guilhotina (São Paulo, SP)
    Brigada de Ouro

    D.O.M (São Paulo, SP)

    A equipe unida e bem treinada é um dos sucessos desse restaurante premiado e reconhecido Brasil afora. As duas estrelas do Guia Michelin são mais indícios da sintonia entre o salão e a cozinha. Além, é claro, da culinária de excelência e que exalta com primor os sabores brasileiros. A brigada da casa de Alex Atala e Geovane Carneiro foi campeã da categoria no ano passado.

    Rua Barão de Capanema, 549, Jardins, tel. (11) 3088-0761; domrestaurante.com.br

    Outros finalistas

    • Evvai (São Paulo, SP)
    • Fasano (São Paulo, SP)
    • Lasai (Rio de Janeiro, RJ)
    • Maní (São Paulo, SP)
    Melhor Hambúrguer

    Z Deli (São Paulo, SP)

    A casa do chef Julio Raw dispensa apresentações. Sucesso desde o primeiro ponto, o Z Deli conta hoje com três endereços, todos com filas gigantes e um público que não arreda os pés até conseguir provar todas as delícias.  Os lanches não decepcionam nunca e mantêm um padrão de altíssima qualidade. Das opções imperdíveis, além dos hambúrgueres, a batata frita Z Deli Fries com alecrim, páprica e maionese caseira e a batata servida com pastrami da casa.

    Rua Francisco Leitão, 16, Pinheiros, tel. (11) 2305-2200, e outros dois endereços; @zdelisandwiches

    Outros finalistas

    • Bravo Burger & Beer (Salvador, BA)
    • C6 Burger (São Paulo, SP)
    • Meats (São Paulo, SP)
    • Underdog (São Paulo, SP)
    Melhor Café da Manhã

    PÃO – Padaria Artesanal Orgânica (São Paulo, SP)

    Muito provavelmente você já deparou com a foto do bolo de chocolate em camadas da PÃO. A Padaria Artesanal Orgânica nasceu há 11 anos, no bairro dos Jardins. Foi em plena Rua Bela Cintra que Rafael Rosa decidiu começar a servir pães artesanais e a valorizar o trabalho de pequenos produtores, sem deixar de lado a simplicidade. O pão de nozes e figo e o de amêndoas com damasco são boas pedidas para levar para casa, mas, se a ideia é saborear a primeira refeição ali mesmo, cremosos ovos mexidos e iogurte com granola feita na casa dão o pontapé para se ter um bom dia. Na última década o projeto cresceu e apareceu. Hoje, são oito unidades espalhadas pela capital paulista.

    Rua Bela Cintra, 1618, Jardins, tel. (11) 2193-2116 e mais sete unidades; padariaartesanal.com.br

    Outros finalistas

    • BotaniKafé (São Paulo, SP)
    • Empório Jardim (Rio de Janeiro, RJ)
    • Futuro Refeitório (São Paulo, SP)
    • Padoca do Maní (São Paulo, SP)
    • The Slow Bakery (Rio de Janeiro, RJ)
    Melhor Cafeteria

    Latitude 13 (Salvador, BA)

    Todos os cafés da Latitude 13 são cultivados em fazendas próprias, na Chapada Diamantina, região baiana que mantém terroir especial para os grãos. Há 20 anos no mercado, a marca inaugurou sua cafeteria como uma forma de estar mais próxima da clientela. O espaço no famoso mercado do Rio Vermelho, em Salvador, apresenta todo o portfólio da marca, além de uma carta com mais de 30 bebidas à base de café.

    Av. Juracy Magalhães Júnior, 1624, Rio Vermelho, tel. (71) 2132-2114; latitude13.com.br

    Outros finalistas

    • Café Secreto (Rio de Janeiro, RJ)
    • Coffee Lab (São Paulo, SP)
    • Futuro Refeitório (São Paulo, SP)
    • Kaffa Cafeteria (Vitória, ES)
    • Um Coffee Co. (São Paulo, SP)
    Restaurante do ano – Centro-Oeste

    Mahalo (Cuiabá, MT)

    O restaurante Mahalo foi batizado em referência a uma expressão havaiana, que significa gratidão, tranquilidade, boa sorte, paz e até mesmo bênção divina. É isso que a chef Ariani Malouf tenta transparecer com base em sua comida. No Mahalo, há um cardápio diferente para cada dia da semana durante o almoço e, no jantar, a casa divide o menu entre receitas do mar e do rio, receitas da terra e massas. Em cardápio único, Malouf consegue reunir influências das cozinhas francesa, libanesa e italiana, sem deixar de lado a valorização dos ingredientes regionais.

    Rua Castelo Branco, 359, Quilombo, tel. (65) 3028-7700; mahalocozinhacriativa.com.br

    Outros finalistas

    • Authoral (Brasília, DF)
    • Íz Restaurante (Goiânia, GO)
    • Meze (Goiânia, GO)
    • Olivae (Brasília, DF)
    Chef do ano

    Manu Buffara, Manu (Curitiba, PR)

    Manu Buffara está voando. Se há cerca de dois anos a chef precisou parar tudo para pensar se seguiria na carreira gastronômica, hoje ela está cheia de projetos e é uma das chefs mais requisitadas do  momento. Ano passado ganhou o prêmio “One to Watch”, do 50 Best América Latina, que é dado aos restaurantes promissores da temporada e, neste ano, se prepara para abrir o Ella Brasileira, sua nova casa em Nova York, de cozinha autoral, com muita técnica. Para Manu, cozinhar é uma expressão de amor e o comensal sente isso em cada detalhe de seus preparos.

    Restaurante Manu – Alameda Dom Pedro II, 317, Batel, tel. (41) 3044-4395; restaurantemanu.com.br

    Outros finalistas

    • Alberto Landgraf, do Oteque (Rio de Janeiro, RJ)
    • Fabricio Lemos, do Origem (Salvador, BA)
    • Oscar Bosch, do Tanit e do Nit (São Paulo, SP)
    • Paulo Shin, do Komah (São Paulo, SP)
    Chef Revelação

    Manuelle Ferraz, A Baianeira (São Paulo, SP)

    Nascida em Almenara, cidade mineira do Vale do Jequitinhonha, que faz divisa com a Bahia, Manuelle Ferraz mescla a cultura desses dois estados em seu restaurante A Baianeira. Antes de abrir o próprio estabelecimento, a cozinheira estagiou em Nova York e também no D.O.M, de Alex Atala. Hoje, elabora uma gastronomia simples, bem-feita, com alma e muito sabor. Por lá, trabalham apenas funcionárias mulheres, em um belíssimo trabalho de empoderamento feminino.

    Rua Dona Elisa, 117, Barra Funda, tel. (11) 2538-0844; @abaianeira

    Outros finalistas

    • Cesar Costa, do Corrutela (São Paulo, SP)
    • Henrique Pontes, do Meze Restaurante (Goiânia, GO)
    • Gonzalo Vidal, do 74 Restaurant (Búzios, RJ)
    • Tuca Mezzomo, do Charco (São Paulo, SP)
    Restaurante de Cozinha Brasileira

    A Casa do Porco Bar (São Paulo, SP)

    Desde que o restaurante de Jefferson Rueda abriu as portas, as filas na entrada são constantes no endereço localizado no centro de São Paulo. Afinal, a ideia ali é servir alta gastronomia a preços acessíveis e em um ambiente democrático, onde todos são bem-vindos. Como o nome diz, o porco é a estrela do menu e é aproveitado desde a orelha ao rabo. O carro-chefe é o porco San Zé, assado lentamente por 6 a 9 horas, e acompanhado de tartar de banana, tutu de feijão, farofa e couve.

    Rua Araújo, 124, Centro, tel. (11) 3258-2578; acasadoporco.com.br

    Outros finalistas

    • A Baianeira (São Paulo, SP)
    • Balaio IMS (São Paulo, SP)
    • Jiquitaia (São Paulo, SP)
    • Mocotó (São Paulo, SP)
    • Tordesilhas (São Paulo, SP)
    Melhor comida de rua

    Pastel da Maria (São Paulo, SP)

    Aos 14 anos, os pais de Kuniko Yonaha, conhecida no Brasil como Maria, montaram uma barraca de pastel e foram vender o quitute nas feiras de São Paulo. Maria aprendeu o ofício e deu continuidade nos negócios. Ao longo dos anos, os pastéis crocantes e quentinhos foram ganhando fãs por toda a cidade de São Paulo e ela resolveu expandir. Atualmente, os pastéis são feitos na fábrica situada no bairro da Casa Verde e são entregues para oito endereços na capital. Os pastéis estão disponíveis nas duas lojas físicas, uma em Pinheiros e outra na Casa Verde e em seis feiras livres nos bairros de Osasco, Pacaembu, Mooca, Sumaré, Santana e Parque Novo Mundo.

    pasteldamaria.com

    Outros finalistas

    • Buzina Food Truck (São Paulo, SP)
    • Hot Pork (São Paulo, SP)
    • Tabuleiro do Acarajé (São Paulo, SP)
    • Vivianne Wakuda (São Paulo, SP)
    Melhor Couvert

    Maní (São Paulo, SP)

    Lascas de polvilho, coalhada seca com páprica-doce defumada, queijo de cabra com pimenta-rosa e manteiga compõem o couvert do Maní, vencedor desta categoria em 2017. As lascas de polvilho fazem tanto sucesso que virou uma das marcas registradas da chef Helena Rizzo. Combinando técnica, criatividade e muito sabor, o couvert do Maní é uma pequena prova do que podemos esperar do restaurante.

    Rua Joaquim Antunes, 210, Jardim Paulistano, tel. (11) 3085-4148; manimanioca.com.br

    Outros finalistas

    • A bela Sintra (São Paulo, SP)
    • A Figueira Rubaiyat (São Paulo, SP)
    • Rodeio (São Paulo, SP)
    • Rubaiyat (São Paulo, SP)
    Cozinha Latino-americana

    La Peruana Cevicheria (São Paulo, SP)

    O que pouca gente sabe é que La Peruana começou como food truck e fez tanto sucesso que mereceu uma casa para chamar de sua. Hoje, em um espaço disputado na Alameda Campinas, a peruana Marisabel Woodman, que já passou por casas de chefs consagrados, como o brasileiro Alex Atala e o peruano Virgilio Martínez, comanda a cozinha com maestria. Peça, sem medo de ser feliz, os bolinhos de batata recheados com lomo salteado, acompanhados de salsa rocoto, e El Campeón, ceviche em duas temperaturas, com peixe branco fresco, polvo na brasa, leite de tigre de rocoto e patacones.

    Alameda Campinas, 1357, Jardim Paulista, tel. (11) 3885-0148; laperuana.com.br

    Outros finalistas

    • Barú Marisqueria (São Paulo, SP)
    • Chiwake (Recife, PE)
    • Comedoria Gonzales (São Paulo, SP)
    • Wanchako (Maceió, AL)
    Melhor Doceria

    Bel Trufas (Rio de Janeiro, RJ)

    Bel Carvalho começou a carreira produzindo ovos de Páscoa, aos 18 anos. Mas seu amor pelas trufas nasceu na década de 1990, quando se encantou com a trufa servida como mimo junto ao café de um restaurante que frequentava e decidiu reproduzir a receita. Passadas mais de duas décadas, ela segue usando a mesma receita que pode ser degustada em sua loja no Leblon. A Bel Trufas abriu as portas em 2012 e, desde 2017, está no atual endereço. Hoje, são 11 sabores de trufa, além de bolos, cookies, brownies e financiers.

    Rua General Venâncio Flôres, 481B, Leblon, tel. (21) 3114-8035; beltrufas.com.br

    Outros finalistas

    • Carole Crema Doces (São Paulo, SP)
    • Casa Mathilde (São Paulo, SP)
    • Confeitaria Dama (São Paulo, SP)
    • Confeitaria Marilia Zylbersztajn (São Paulo, SP)
    • Pâtisserie Douce France (São Paulo, SP)
    Melhor Feijoada

    Rubaiyat (São Paulo, SP)

    Nessa casa especializada em cortes nobres de carne, a famosa feijoada também brilha entre as opções. Ela é servida somente aos sábados em forma de bufê e os comensais podem se servir à vontade, por um preço fixo. O serviço ainda inclui mais de 15 acompanhamentos, além de cerveja, caipirinha e mesa de sobremesas. A feijoada também pode ser apreciada em A Figueira Rubaiyat, outro endereço do grupo.

    Av. Brigadeiro Faria Lima, 2954, Jardim Paulistano, tel. (11) 3165-8888; gruporubaiyat.com

    Outras finalistas

    • Academia da Cachaça (Rio de Janeiro, RJ)
    • Aconchego Carioca (Rio de Janeiro, RJ)
    • Bolinha (São Paulo, SP)
    • Verissimo (São Paulo, SP)
    Livro do Ano

    Claude Troisgros: história, dicas e receitas – Claude Troisgros (Editora Sextante)

    O livro narra a trajetória de um dos profissionais mais carismáticos da gastronomia nacional. A publicação retrata as fases de Claude Troisgros, desde a infância em Roanne, passando pela adolescência em um colégio interno de culinária e hotelaria em Thonon-les-Bains, até a chegada e a nova vida no Brasil. Em dicas e segredos, o chef ensina como usar os principais utensílios de cozinha; como comprar os ingredientes em seu melhor estado e como utilizar cada um. Por fim, uma seleção de receitas fotografadas por Rodrigo Azevedo estampa o livro, que tem Victor Burton como responsável pelo projeto gráfico.

    Outros finalistas

    • A culinária caipira da Paulistânia – Marcelo Corrêa Bastos e Carlos Alberto Dória (Editora Três Estrelas)
    • Cachaça: história, gastronomia e turismo – Jairo Martins da Silva (Editora Senac)
    • Cozinhando com economia: cardápios, receitas e listas de compras para as quatro estações – Zenir Dalla Costa e Cláudia Moraes (Editora Senac)
    • Na mesa da baiana: receitas, histórias, temperos e espírito tipicamente baianos – Tereza Paim e Sônia Robatto (Editora Senac)
    Restaurante do ano – Nordeste

    Casa de Tereza (Salvador, BA)

    Um dos grandes nomes da gastronomia nordestina, Tereza Paim prepara suas delícias em um casarão de 1836, reunindo o melhor da cultura e da cozinha baiana. A casa é dividida em quatro ambientes temáticos. A sala galeria Yemanjá traz mesas pintadas por 11 artistas plásticos baianos, a sala Bel Borba reúne as obras do grande artista, o salão terreiro faz alusões ao candomblé e o espaço barroco homenageia o movimento artístico presente nas igrejas do estado. No cardápio, é possível encontrar pratos autorais e clássicos da cozinha baiana, como o icônico bobó de camarão. Mas a chef vai além e para quem se permitir provar há outras iguarias, como a maniçoba e o ensopado de carneiro.

    Rua Dr. Odilon Santos, 45, Rio Vermelho, tel. (71) 3329-3016;  casadetereza.com.br

    Outros finalistas

    • Cozinha Roccia (João Pessoa, PB)
    • Oleiro (Recife, PE)
    • Origem (Salvador, BA)
    • Quina do Futuro (Recife, PE)
    Melhor Padaria

    The Slow Bakery (Rio de Janeiro, RJ)

    O casal Rafa Brito Pereira e Lud Espíndola conta que, em 2014, decidiu que queria fazer pão, com o máximo de respeito à matéria-prima, ao tempo de preparo e com o resgate de métodos milenares. A agência de comunicação, então, deu lugar a um pequeno ateliê de pães artesanais. Começaram entregando nas casas dos clientes, mas o negócio cresceu tanto que precisaram de um espaço, para servir as delícias produzidas por eles, que além da fábrica, abriga o café, no qual servem bolos, pães, geleias, tudo o mais natural e artesanal possível. O cuidado com o ingrediente é tanto, que por ali só entram farinhas 00 italiana e francesa, com selo de agricultura sustentável.

    Rua São João Batista, 93, Botafogo, tel. (21) 3563-8638; theslowbakery.com.br

    Outros finalistas

    • Deli Garage (São Paulo, SP)
    • Padaria da Esquina (São Paulo, SP)
    • Padoca do Maní (São Paulo, SP)
    • PÃO – Padaria Artesanal Orgânica (São Paulo, SP)
    Chef Pâtissière

    Lisiane Arouca (Salvador, BA)

    Fugindo do eixo Rio-São Paulo, a confeiteira do restaurante Origem serve receitas que contam uma história, por meio da apresentação delicada e das nuances de sabor que provocam no paladar. São recorrentes o resgate de ingredientes pouco explorados na confeitaria, bem como o uso de preparos cheios de carga afetiva como base para as criações com ar contemporâneo. Lisiane é especialista em bolos e cake design e começou a carreira vendendo bolos preparados na cozinha de sua casa.

    Alameda das Algarrobas, 74, Pituba, tel. (71) 99202-4587; restauranteorigem.com.br

    Outros finalistas

    • Carole Crema (São Paulo, SP)
    • Henrique Rossanelli (Rio de Janeiro, RJ)
    • Nathalia Gonçalves (São Paulo, SP)
    • Rodrigo Ribeiro (São Paulo, SP)
    • Saiko Izawa (São Paulo, SP)
    Restaurante do Ano

    Oteque (Rio de Janeiro, RJ)

    Desde os tempos em que mantinha seu restaurante em São Paulo, Alberto Landgraf já era nome recorrente nas rodas sobre alta gastronomia. Por isso, não é surpresa que, com apenas um ano de vida do Oteque, o nome do chef tenha voltado aos trending topics. A casa localizada no Rio de Janeiro propõe um clima elegante e casual, enquanto na cozinha, a inspiração vem da pureza da natureza. O menu degustação muda diariamente e destaca os pescados.

    Rua Conde de Irajá, 581, tel. (21) 3486-5758; oteque.com

    Outros finalistas

    • Corrutela (São Paulo, SP)
    • Evvai (São Paulo, SP)
    • Komah (São Paulo, SP)
    • Lasai (Rio de Janeiro, RJ)
    • Manu (Curitiba, PR)
    Restaurante do Ano – Norte

    Casa do Saulo (Alter do Chão, PA)

    Localizada à beira do Rio Tapajós, a Casa do Saulo tem a natureza como um de seus atrativos.O ambiente é aconchegante e familiar e a gastronomia é focada na tradição, sempre valorizando ingredientes locais, caso dos pescados típicos, como pirarucu e aviú. À frente do restaurante está o chef Saulo Jennings, que levou para casa o título dessa categoria no ano passado.

    Rodovia Interpraias, s/no, km 4, Curuatatuba, São Francisco do Carapanari, tel. (93) 99224-4691; @casadosaulo

    Outros finalistas

    • Banzeiro (Manaus, AM)
    • Manjar das Garças (Belém, PA)
    • Remanso do Bosque (Belém, PA)
    • Remanso do Peixe (Belém, PA)
    Ivo Faria, Personalidade da Gastronomia
    Personalidade da Gastronomia

    Ivo Faria

    Eleito a Personalidade da Gastronomia em 2019 por Prazeres da Mesa, Ivo Faria é formado por muitas facetas. É cozinheiro. Começou cedo na gastronomia e, aos 14 anos, já estava matriculado no curso técnico de cozinha do Senac. É mestre. Antes mesmo de concluir o curso técnico, atuava como professor-assistente na mesma instituição em que estudava. É chef. Desde 1995 comanda o restaurante Vecchio Sogno, em Belo Horizonte, que tem a culinária italiana como base, porém é feita com ingredientes locais. É referência. Um dos principais nomes da cozinha mineira, responsável por fazer despontar uma série de outros cozinheiros.

    Antes de dar vida a seu sonho, Ivo Faria foi estudar na Suíça e fez estágio em outros países da Europa e no Brasil. Recebeu reconhecimento desde muito jovem e teve de aprender, na marra, como ser chef. Para ele, exercer o ofício vai muito além de cozinhar. É preciso também ser psicólogo, administrador, pai e, até, carrasco para chamar a atenção dos funcionários. Agora, ele vê seu restaurante prestes a completar 25 anos – o que acontecerá em 2020, sendo um marco na história de Minas Gerais. Também é ele o nome lembrado por cozinheiros em busca de conselhos sobre a profissão e sobre como melhorar seus restaurantes.

    Em tempo, o Vecchio Sogno passou por uma reforma em 2018.

      Restaurante do Ano – Sudeste

      Tanit (São Paulo, SP)

      Não é fácil conseguir uma mesa no restaurante Tanit, localizado na Rua Oscar Freire, mas a espera vale a pena. Inaugurado em 2016, a qualidade só aumentou, o que fez os comensais paulistas encontrar por ali um pedacinho da Espanha. Comandado pelo chef Oscar Bosch, o restaurante oferece as melhores opções de tapas, visto que o chef faz parte da terceira geração de cozinheiros da Catalunha.

      Rua Oscar Freire, 145, Jardins, tel. (11) 3062-6385; restaurantetanit.com.br

      Outros finalistas

      • Corrutela (São Paulo, SP)
      • Evvai (São Paulo, SP)
      • Lasai (Rio de Janeiro, RJ)
      • Oteque (Rio de Janeiro, RJ)
      • Soeta (Vitória, ES)
      Melhor Petisco de Bar

      Bolinho da dona Idalina, Bar do Luiz Fernandes (São Paulo, SP)

      Um dos petiscos mais famosos da capital paulista é o bolinho de carne da dona Idalina. Também pudera, seu Luiz e as Idalinas de sua vida (mãe e mulher) abriram o bar do Luiz Fernandes em 1970 e desde então o bolinho é unanimidade. Se você é daqueles que amam botecar, ali é o endereço certo.

      Rua Augusto Tolle, 610, Mandaqui, tel. (11) 2976-3556; bardoluizfernandes.com.br

      Outros finalistas

      • Besteira à milanesa, do Astor (São Paulo, SP)
      • Bolinho de arroz, do Bar do Momo (Rio de Janeiro, RJ)
      • Bolovo, do Boca de Ouro (São Paulo, SP)
      • Bolovo, do Guarita (São Paulo, SP)
      Melhor Pizzaria

      Bráz Pizzaria (São Paulo e Rio de Janeiro)

      Um dos endereços recorrentes na rota dos apaixonados por pizza, a Bráz tem mais de 20 anos de história. Seu salão é ponto de encontro de famílias, casais, amigos, pessoas jovens e mais maduras. Saem do forno a lenha receitas feitas com ingredientes cuidadosamente selecionados. A pizza caprese é um dos ícones do menu, elaborada com base de mussarela, tomate, mussarela de búfala, pesto de azeitona preta e manjericão. Com diversas unidades, a Bráz Pizzaria venceu esta categoria no ano passado.

      Diversas unidades; brazpizzaria.com.br

      Outros finalistas

      • Bráz Elettrica (São Paulo, SP)
      • Carlos Pizza (São Paulo, SP)
      • Leggera Pizza Napoletana (São Paulo, SP)
      • Napoli Centrale (São Paulo, SP)
      Melhor Sanduíche

      Hot Pork (São Paulo, SP)

      Em uma tentativa de driblar o uso de produtos industrializados, cheios de corantes e conservantes, Jefferson Rueda criou a própria versão de hot dog. No início, o lanche era para satisfazer o desejo dos filhos de comer cachorro-quente, mas o resultado deu tão certo que se tornou empreendimento. O Hot Pork abriu as portas em 2018 e deu continuidade ao projeto do casal Janaina e Jefferson Rueda que luta pela revitalização do Centro de São Paulo. O sanduíche é feito com salsicha totalmente suína e é finalizado com ketchup de maçã, mostarda com tucupi e picles de cebola-roxa. Há também uma versão vegetariana, na qual o embutido é feito com tofu e cogumelos.

      Rua Bento Freitas, 454, Campos Elíseos, tel. (11) 3129-8735; @hot.pork

      Outros finalistas

      • C6 Burger (São Paulo, SP)
      • Estadão Lanches (São Paulo, SP)
      • Matilda Lanches (São Paulo, SP)
      • Tan Tan Noodle Bar (São Paulo, SP)
      • Z Deli (São Paulo, SP)
      Responsabilidade Social

      Gastronomia Periférica

      Para o jovem Edson Leitte, as periferias podem e devem se tornar polos gastronômicos. De origem simples, Leitte tentou a sorte como jogador de futebol, rapper e até DJ, antes de se tornar cozinheiro, mas sem sucesso. Decidiu ir para a Europa com o pouco dinheiro que juntou trabalhando em uma rede de fast-food. Foi em Lisboa que, acidentalmente, encontrou-se na gastronomia. Leitte começou a carreira como garçom e um dia teve de assumir a cozinha, depois que as chefs do restaurante faltaram.

      Apaixonado pela culinária, trabalhou em hotéis, navios, hospitais, clubes, até que decidiu voltar para casa. Em 2016, já no Brasil, iniciou os estudos em serviços sociais e começou a atuar em projetos na periferia. Com a sócia Adélia Rodrigues, Leitte decidiu unir a gastronomia e o serviço social e criou o Gastronomia Periférica. Inicialmente, o projeto visava a oferecer oficinas de gastronomia para pessoas de baixa renda.

      Mas, em pouco tempo, a iniciativa foi tomando as devidas proporções e, hoje, além de aulas gratuitas, a Gastronomia Periférica realiza eventos sociais, grava ações para a TV e contribui de maneira geral para a cultura da periferia paulistana. Em 2017, o projeto desenvolveu um aplicativo que mapeia mais de 60 opções gastronômicas da periferia Jardim São Luís. O projeto ainda resultou no livro Porque Criei a Gastronomia Periférica, escrito por Edson Leitte e lançado em dezembro de 2018 pela Editora Inova.

        Melhor Sorveteria

        Bacio di Latte (São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais, Brasília, pernambuco e Goiás)

        As filas na porta não deixam negar o sucesso dos gelatos da Bacio di Latte. Tudo começou quando o italiano Edoardo Tonolli decidiu deixar a empresa da família, voltada ao mercado financeiro, em seu país natal para dar vida a um projeto antigo: uma gelateria. Entre os segredos para o sucesso de seus sorvetes, que são feitos com mais leite e creme de leite do que os comuns e, por isso, são mais cremosos, está o uso de boa matéria-prima na receita – caso da pasta de pistache que vem da Itália e do doce de leite argentino. Além disso, na maioria das lojas, o sorvete é produzido in loco, garantindo o frescor na casquinha do cliente.

        Diversas unidades; baciodilatte.com.br

        Outros finalistas

        • Frida & Mina (São Paulo, SP)
        • Gelato Boutique (São Paulo, SP)
        • Le Botteghe di Leonardo (São Paulo e Rio de Janeiro)
        • Sorveteria do Centro (São Paulo, SP)
        Restaurante do Ano – Sul

        Manu (Curitiba, PR)

        O orgulho de sua terra é o que dita a cozinha de Manu Buffara. Criada no campo, brincando entre cabras, vacas e hortas, ela sempre soube a importância de cuidar do meio ambiente e de seu entorno. O respeito é estendido aos pratos criados por Manu, que exaltam cada ingrediente em seu melhor momento. O restaurante funciona apenas com menu degustação, em que a cada etapa são apresentados novos insumos de produtores garimpados pela chef. É presença recorrente entre os indicados nesta categoria.

        Alameda Dom Pedro II, 317, Batel, tel. (41) 3044-4395; restaurantemanu.com.br

        Outros finalistas

        • Bistrô Pelotense (Pelotas, RS)
        • Mandarinier (Porto Alegre, RS)
        • Nomade (Curitiba, PR)
        • Valle Rustico (Garibaldi, RS)
        Sushiman do Ano

        André Saburó, Quina do Futuro (Recife, PE)

        Vencedor da categoria no ano passado, André Saburó é sempre mencionado quando o assunto é excelência na arte de preparar sushi e sashimi. À frente do Quina do Futuro, restaurante referência em gastronomia japonesa no Brasil e inaugurado por seu pai, Shigeru Matsumoto, André é um dos sushimen que mais entendem de atum no país.

        Rua Xavier Marquês, 134, Aflitos, tel. (81) 3241-9589; quinadofuturo.com.br

        Outros finalistas

        • Cristiano Komiya, do New Koto (Brasília, DF)
        • Edson Yamashita, do Ryo Gastronomia (São Paulo, SP)
        • Emerson Kim, do Makoto (São Paulo, SP)
        • Ken Mizumoto, do Shin-Zushi (São Paulo, SP)
        Restaurante Vegetariano

        Banana Verde (São Paulo, SP)

        Há 13 anos, este restaurante localizado na Vila Madalena serve receitas vegetarianas e veganas no estilo buffet durante o menu executivo do almoço de segunda a sexta-feira, além de à la carte no almoço e no jantar. A cozinha é capitaneada por Priscila Herrera. Ela é formada pelo Senac Campos do Jordão e trabalhou com Amanda Coheh, no restaurante Dirt Candy, em Nova York. A chef preza por receitas bonitas e igualmente saborosas e bem temperadas.

        Rua Harmonia, 278, Vila Madalena, tel. (11) 3814-4828; bananaverde.com.br

        Outros finalistas

        • .Org Bistrô (Rio de Janeiro, RJ)
        • Homa (São Paulo, SP)
        • Moinho de Pedra (São Paulo, SP)
        • Naturalie Bistrô (Rio de Janeiro, RJ)
        • Quincho Cozinha e Coquetelaria (São Paulo, SP)

        Etiquetas
        Mostrar mais

        Prazeres da Mesa

        Lançada em 2003, a proposta da revista é saciar o apetite de todos os leitores que gostam de cozinhar, viajar e conhecer os segredos dos bons vinhos e de outras bebidas antecipando tendências e mostrando as novidades desse delicioso universo.

        Artigos relacionados

        Botão Voltar ao topo