Notícias

Deliciosamente caseiro

Por Beatriz Albertoni e Stephanie Vapsys
Fotos: arquivo

A penúltima semana de setembro é marcada pela chegada da primavera. Além de ser a época das flores, é nessa estação que as temperaturas começam a subir. Como nada combina mais com um dia quente do que uma sobremesa refrescante, 23 de setembro foi eleito o Dia Nacional do Sorvete.

Criado em 500 a.C a partir da mistura de neve das montanhas e mel, vinhos ou frutas, o sorvete conquistou o mundo e é uma das sobremesas mais consumidas até hoje. Na casquinha, no potinho, de massa ou no palito, são inúmeras as maneiras de preparar essa sobremesa gelada. Mas são poucos os que se aventuram a prepara-la em casa. Para desmitificar a ideia de que é impossível ou muito difícil fazer sorvete, conversamos com Marcia Garbin, mestre-sorveteira da Gelato Boutique, que passou algumas dicas sobre o preparo caseiro.

Continua após o anúncio

Segundo Marcia, há inúmeros métodos para fazer sorvete em casa, mas ela costuma ensinar quatro: na máquina, na batedeira, no processador e com nitrogênio líquido (ou gelo seco). Todas essas técnicas servem tanto para as receitas que levam apenas frutas, os chamados sorbets, quanto para os preparados com leite. Confira as dicas:

1 – Usando a máquina de sorvete         

Esse é o método mais simples e rápido, mas é preciso da máquina, um utensílio pouco comum de se ter em casa. Para quem possui o equipamento, a dica de Marcia é prestar atenção na velocidade. “A consistência do sorvete se dá pela velocidade que você consegue congelar a mistura. Os cristais de gelo devem ser bem pequenos, pois é isso que atribui sedosidade ao paladar”, diz a especialista.

2 – Usando a batedeira

Essa técnica é muito usada por quem quer um sorvete cremoso e de textura lisa. O resultado é semelhante ao método com máquina, mas costuma ser bem mais demorado, conforme explica Marcia. “Deixe a mistura do sorvete descansando na geladeira, depois bata um pouco na batedeira e, em seguida, deixe no congelador por 40 minutos. Tire, bata novamente, e deixe mais 40 minutos no freezer. Continue fazendo isso até atingir a textura cremosa. A ideia é bater o sorvete bem gelado, pois é preciso quebrar os cristais de gelo.”

3- Usando o processador

Para quem não pode passar horas na cozinha e não tem necessidade de apresentar uma textura perfeita, essa é a técnica ideal, pois é rápida e simples. “Antes de bater, coloque a mistura em saquinhos tipo zip lock e deixe no freezer até congelar. Quando ficar bem durinho, quebre essa mistura e bata em um processador até virar um creme bem denso. A textura não vai ficar profissional, mas com certeza os convidados vão gostar e você pode deixar congelado e só bater quando as visitas estiverem chegando”, conta Marcia.

4- Usando nitrogênio líquido ou gelo seco

Esse método é para quem busca um resultado quase profissional, mas não possui a máquina. “Jogue aos poucos o gelo seco dentro da mistura enquanto bate na batedeira até chegar à textura cremosa. Ou então faça um banho-maria de gelo seco. Como ele vira gás e deixa a massa bem gelada, aumenta até a cremosidade. Se você for jogar diretamente na mistura, é importantíssimo deixar descansando no congelador por pelo menos uma hora, para não queimar a boca”, explica. Marcia garante que não tem nenhuma contraindicação em usar o nitrogênio líquido ou o gelo seco, visto que as substâncias saem completamente do sorvete depois de a massa descansar.

Confira receitas de Marcia Garbin:
Picolé cremoso de goiaba
Gelato Romeu e Julieta
Gelato de matchá

Mostrar mais

Prazeres da Mesa

Lançada em 2003, a proposta da revista é saciar o apetite de todos os leitores que gostam de cozinhar, viajar e conhecer os segredos dos bons vinhos e de outras bebidas antecipando tendências e mostrando as novidades desse delicioso universo.

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo