Prazeres da mesa

Reportagens, Viagens

RIQUEZA PERNAMBUCANA

A 60 quilômetros do Recife, Porto de Galinhas é terra de belas paisagens e gastronomia enaltecida por insumos locais

Por: Prazeres Da Mesa | 8.dec.2017

Por Beatriz Albertoni
Fotos divulgação 

O azul cristalino das águas, quando encontra os corais, mescla-se a um verde único, tornando-se abrigo de cardumes coloridos das mais diferentes espécies. Mais à frente, o mar desemboca na areia branca e granulada que se estende até os coqueirais, oferecendo refúgio do sol escaldante de janeiro a janeiro. Em terra, o colorido típico do Nordeste enfeita as ruas, as casas e as lojas. Assim é Porto de Galinhas, cantinho paradisíaco no município de Ipojuca, em Pernambuco.

Esse pode ser um cenário bastante conhecido por muitos brasileiros, mas o que Porto de Galinhas oferece, além da beleza exuberante do litoral tupiniquim, é a boa infraestrutura hoteleira e uma gastronomia que preza pelos insumos regionais. A grande oferta de restaurantes recebe moradores e turistas curiosos em conhecer ou rememorar os sabores e os aromas pernambucanos.

Opção indispensável nos cardápios de sobremesas, a cartola é feita de banana frita e queijo de coalho ou manteiga e é um dos xodós da região. A iguaria recebe diferentes coberturas, de açúcar com canela a goiabada e brigadeiro, e simboliza o orgulho dos pernambucanos em poder criar deliciosos preparos com ingredientes locais, com empenho em manter a tradição.

01/12

Festival de sabores

Para celebrar e preservar o que a região tem de melhor, a Associação Porto da Boa Mesa (APBM) realiza todos os anos o festival gastronômico Porto Gastrô, em que reúne os restaurantes da vila e os desafia a incluir um ingrediente especial em pratos ou sobremesas. Em 2016, a cana-de-açúcar, insumo abundante no Nordeste, foi tema da sexta edição do festival, que aconteceu de 23 de novembro a 4 de dezembro.

João Adauto Silva, diretor de marketing do Porto Gastrô e proprietário do João Restaurante, afirma que os ingredientes são pensados respeitando a sazonalidade. “Queremos proporcionar experiências e divulgar nossa gastronomia, que é muito boa”, diz. Para esse ano, João aposta no caju como insumo principal. Edições anteriores tiveram o coco, o chocolate e a banana-da-terra estrelando saborosos preparos.

Foram ao todo 26 restaurantes, pousadas e hotéis, alguns dos melhores de Porto de Galinhas, que não pouparam esforços em elaborar criativas receitas. O grande desafio, nesse caso, foi harmonizar o ingrediente em preparos salgados e equilibrar a acentuada doçura nas sobremesas.

Além da valorização da gastronomia, o projeto doa 3 reais de cada prato vendido no festival a entidades sociais. Na última edição, beneficiou a Bicho de Casa, instituição que acolhe e encontra um lar para cães e gatos abandonados.

Riqueza pernambucana

Restaurante Caldinho do Nenen
Esse restaurante pé na areia preparou para o festival uma costelinha arretada: costela de porco marinada na cachaça, guarnecida com purê de batata e cebolas caramelizadas com rapadura. A carne de porco foi  escolha acertada do chef Ianderson Luiz para harmonizar de maneira suave com a rapadura e também é uma das alternativas para a grande oferta de frutos do mar.

Domingos Restaurante
Procurado por casais em busca de romantismo, o Domingos Restaurante traz uma decoração diferenciada e ambientação intimista. Com a cana, a lagosta grelhada recebeu mel de engenho picante e chegou à mesa em generosa porção.

João Restaurante
O estabelecimento de um dos organizadores do festival é bastante famoso pelas redondezas, principalmente pelo camarão no abacaxi, sucesso entre turistas e locais. Para o Porto Gastrô, elaboraram uma posta de meca, purê de jerimum, arroz cremoso, farofa crocante e creme de mel de engenho.

Munganga Bistrô
No rol de criações doces, o Munganga Bistrô incluiu no cardápio do festival as bananas douradas, feitas com calda de mel de engenho ao limão e gengibre e servidas com sorvete de creme.

Bonito por natureza 

O turismo, tampouco a gastronomia, não atrairiam tantas pessoas a Porto de Galinhas não fossem as ações de preservação da natureza. A biodiversidade é um dos diferenciais desse pedaço de terra e, por isso, conta com instituições empenhadas em preservar as espécies e divulgar as ameaçadas de extinção.

Uma das entidades que mais atuam na área é o Hippocampus de biologia que cultiva e preserva cavalos-marinhos, a fim de multiplicar a espécie e devolvê-los com mais saúde ao oceano. Os monitores do local afirmam que a exposição desses animais, aberta ao público, é importante para difundir o conhecimento e, assim, conscientizar sobre a importância da vida marinha.

Também com trabalhos importantes, Gilberto Carcará colore Porto de Galinhas há anos. Artesão de mão-cheia, suas obras mais famosas são as grandes esculturas de galinhas, feitas apenas com troncos de coqueiros mortos, material abundante que o artista tem prazer e maestria em reciclar. O Ateliê do Carcará, localizado em uma casa plana e agradável, é repleta de obras peculiares, revelando a alma colorida da cidade.

As belas paisagens de Porto de Galinhas são indispensáveis para quem decide visitar o local, é claro. Mas, chegando lá, o destino mostra-se muito mais do que apenas um bom litoral para relaxar. Ali, há gastronomia, cultura, arte e importantes projetos ambientais que fazem desse balneário um dos mais interessantes do país.

01/12

Matérias Relacionadas